Lençóis Maranhenses

Chegamos por volta de meia-noite em São Luís, depois de um vôo super tranqüilo – pelo menos pra gente que já viaja de avião como fosse ônibus. Para a Samara, minha cunhada, acho que não foi tão calmo assim pois ela veio segurando a santinha na mão de Curitiba à São Luís, rsrs.

Pegamos nossas bagagens e lá estava o Júlio nos aguardando no saguão do aeroporto. Nos dividimos em 2 carros e fomos para o hotel.

Se tem uma coisa que viajantes econômicos precisam ter ciência é que, em relação a hotel, você tem geralmente aquilo que se paga. O que quero dizer com isso? É que não adianta você pagar 100 reais numa diária e esperar grandes coisas… Ou seja, o hotel era bem simples, porém bem limpinho 🙂

Todos cansados, fomos direto dormir, pois a aventura estava apenas começando. Nossa viagem aconteceu assim:

Sábado (30/10/2010) – acordamos bem cedo, tomamos o humilde café do hotel e enquanto o Loedi e o Anderson foram com o Júlio procurar carro para alugar, eu, mamis e Adri fomos dar uma volta na praia, que estava a uma quadra do hotel.

As praias não são o forte de São Luís. O mar é agitado, turvo e venta muito. O que nos assustou nesse passeio matinal foram os vários avisos sobre o perigo de assalto na orla… não vimos nada demais, but…. melhor prevenir.

Orla urbana de São Luís

Achamos que o mesmo tempo que levaríamos para dar um rolê na praia eles levariam para voltar com o carro… engano nosso.

Aqui está a resposta para o que escrevi no post anterior: não fomos bem sucedidos no aluguel do carro. Mesmo com a ajuda do especialista em São Luis – Júlio- perdemos a manhã toda esperando pelos bonitões :(. E além de tudo, ficamos preocupadas com a demora, cada um falando algo diferente e eu ficando cada vez mais irritada….Quando vi o Loedi, a primeira coisa que disse foi: devíamos ter vindo com isso fechado.. argh! Mas também, naquela altura do campeonato, nada restava a fazer a não ser recuperar o tempo perdido.

Nossa primeira parada foi em um mirante à beira do Rio Anil. Nesse lugar, o Júlio nos contou que aquele rio era regulado pela maré e que se a gente voltasse de tarde, veria outra paisagem…claro que agendamos a volta.

Rio Anil pela manhã

Rio Anil no final da tarde

Depois de lá fomos para o Centro Histórico de São Luís, que é patrimônio histórico da humanidade. O que vimos por lá? Muitos prédios mal cuidados, sem nenhuma conservação. Poucos eram os que estavam em boas condições. Uma pena ver tanta história se degradando com o passar dos anos.

Patrimônio da humanidade?

Um prédio chamou a atenção pela beleza e estado de conservação: o Palácio dos Leões.

Palácio dos Leões - sede do governo do Maranhão

Andamos pelo centro histórico e fomos almoçar num restaurante muito recomendado, o Cabana do Sol, onde experimentei o famoso “Arroz de Cuxá” e o “Guaraná Jesus”, refrigerante mais consumido no Maranhão.

Gosto de groselha com gás

Depois do almoço, esticamos nossas toalhas numa praia e ficamos lá curtindo o sol nordestino e o super vento de São Luís.  O que nos chamou a atenção na praia foi o tamanho da faixa de areia…. enorrrrrme até chegar ao mar que é turvo, porém bem quentinho.

Ficamos lá durante o resto da tarde, e quando o sol começou a se pôr, resolvemos voltar ao mirante que tínhamos ido pela manhã para ver a mudança da paisagem no rio Anil e nos surpreendemos…. tudo estava muito diferente, como mostrei anteriormente na foto!

Anoiteceu, voltamos para o hotel, tomamos banho e fomos jantar. Cardápio do dia: pizza! Voltamos cedo para arrumar as malas pois no domingo cedinho, seguiríamos para Barreirinhas onde, enfim, chegaríamos aos Lençóis Maranhenses.

Domingo (31/10/2010) – acordamos bem cedo e às 08 horas o ônibus passou no hotel para seguirmos as 3 horas e meia de viagem até Barreirinhas.

Com uma parada para lanche no caminho, a viagem foi super tranqüila e a paisagem observada na estrada é da pobreza do Maranhão…. até chegarmos lá, ainda não sabíamos que era o estado mais pobre do país. E em Barreirinhas, constatamos isso bem de perto.

Ficamos numa pousada super simples – pousada Brisamar- aliás, acho que o lugar mais simples que já fiquei na vida. Porém o carinho que a dona Nazaré (proprietária da pousada) nos recebeu, não existe em nenhum hotel 5 estrelas. Outro ponto excelente da pousada era que nos fundos, estava o rio Preguiças, a estrela da região.

Rio Preguiças, no quintal da pousada Brisamar

Deixamos nossa bagagem lá, reforçamos o filtro solar e fomos almoçar antes que o jipe que levaria aos Lençóis passasse para nos pegar.

Às 14 horas, o jipe chegou  lá fomos nós… uhu!

Para chegar aos Lençóis em Barreirinhas, é preciso atravessar de balsa o rio Preguiças e seguir numa trilha de areia por cerca de 30 minutos. Os guias recomendam que o horário de visitas seja após às 15 horas, por causa do sol forte.

Balsa para atravessar o rio Preguiças

Nós todos na balsa

Trilha feita, chegamos ao Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses e nada nos restava dizer além de uauuuuuuuuu.

Mesmo sendo período de seca, a paisagem é única. Você olha, olha, olha e não consegue acreditar na imensidão do lugar ( para se ter idéia, o parque tem o tamanho da cidade de São Paulo). Depois de muitas fotos logo na entrada, seguimos rumo à Lagoa do Peixe, que não seca nunca. Tínhamos uma longa caminhada pela frente…

Areia, céu azul...

Se a imensidão de areia impressionou, ao vermos o contraste com a água, ficamos sem palavras….uma lagoa de águas bem verdes, com aquela areia branquinha….Lindo demais!

Lagoa do Peixe

Passamos umas 2 horas lá, contemplando a beleza do lugar, descendo rolando as dunas e caindo na água e dizendo: valeu a pena, ê ê!!!

Como tínhamos que fazer todo o caminho de volta, assim que o sol baixou, começamos a voltar pois ninguém queria se perder por ali no escuro.. rsrsr

Valeu a pena, ê, ê!

Pose nos Lençóis

Ver o pôr-do-sol nos Lençóis é algo mágico!

Fizemos o trajeto de volta e voltamos para a pousada. Eu e a Adri, fomos ter nosso momento de ” Juma” nadando no Rio Preguiças, que no início da noite estava com a água bem quentinha… uma delícia!

Saímos do rio, tomamos banho e fomos dar uma volta em Barreirinhas. Jantamos e fomos dormir, pois tinha mais aventura no dia seguinte.

Segunda-feira (01/11/2010) – se já tínhamos gostado muito de Barreirinhas, eu fiquei imaginando o que seria Santo Amaro, que todos diziam ser mais lindo ainda. O que não tinha pensado ainda é que a trilha era de apenas 36 km e levaria 3 horas: sinal de muita aventura pela frente!

Acordamos, tomamos um delicioso café da manhã à beira do rio Preguiças e seguimos com mala e cuia rumo à Santo Amaro.

O jipe do Júlio

A viagem até Santo Amaro é para quem realmente está disposto a ver esse lado dos Lençóis. Chacoalha muito, pois o caminho é todo de areia, em meio à vegetação e o jipe tem que andar muito devagar para não atolar. Balança para um lado, balança pro outro e assim se foram 3 horas…. Confesso que no meio do caminho pensei: onde é que fui me meter, pois não agüentava mais ver a mesma paisagem e aqueles sopetões no meio do nada. E de 10 em 10 minutos, alguém perguntava: estamos chegando? Hahaha. A resposta era sempre: não! 😦

Depois de muittttto tempo, chegamos ao povoado de Espigão. Uma vilinha no meio dos Lençóis, com uma bela paisagem.

Espigão

Ficamos ali um tempo, tiramos muitas fotos e fomos almoçar no povoado de Betânia.

O almoço foi na casa do senhor Chico Calixto (morador local), pois ali não existe nadaaaaa. Comemos galinha caipira, arroz, macarrão, hummmm. Comidinha bem caseira no extremo interior do Maranhão – preço de cada galinha: 55 reais. Conforme disse minha mãe, a galinha mais cara do mundo.. kkkk. Mas era ou isso, ou isso. Lá não existe opção!

"Restaurante"

Depois do almoço, tiramos um merecido cochilo nas redes que estavam lá e seguimos para nova aventura: conhecer a lagoa da Betânia.

Aí sim dissemos: valeu a pena todo o difícil caminho, pois a recompensa foi ótima…

Águas azuis, cristalinas, quentinhas e ali, só pra gente! Um paraíso no meio do nada! Fiquei parada por alguns minutos pensando e agradecendo por ter a oportunidade de estar ali. Eu e a Adri fomos caminhando bem devagar, tirando foto de tudo… olhando para cada pedacinho daquela imensidão…

Lagoa Betânia

Nem mesmo as enormes e cansativas subidas de dunas estraga o passeio, pois você sabe que a cada “morro” você verá algo diferente e que com certeza valerá a pena.

A lagoa da Betânia é demais!!! Ficamos lá por um tempo, curtindo e apreciando tudo, nadando, tirando fotos….mas tínhamos que seguir em frente, porque ainda NÃO tínhamos chegado a Santo Amaro!!!

Com mais alguns minutos de trilha, chegamos à dunas de Santo Amaro para ver o pôr-do-sol. Por ali, existe a lago da Gaivota, que dizem ser a mais linda dos Lençóis. Mas como estávamos na época da seca, não tivemos a honra de vê-la com água.

Mesmo sem água nas lagoas por ali, apreciar a paisagem já valeu a pena…Bem que a Adriana falava: “Thaís, vamos tirar muitas fotos pois semana que vem a gente já vai ficar com saudades…” Então, tá! Vamos fotografar!

Depois de muitas e muitas fotos, apreciamos o pôr-do-sol…. minha mãe até chorou de tanta emoção ao ver o espetáculo. E realmente foi emocionante sentir a brisa naquele lugar lindo e deserto, com o sol dando seu show.

Apreciando o pôr-do-sol

Voltamos para o jipe, seguimos até o vilarejo de Santo Amaro, jantamos pizza, tomamos sorvete e criamos coragem para fazer o caminho de volta….

Seguimos até São Luís e chegamos no hotel por volta de 01 e 30 da manhã podres, porém muito felizes de ter estado em locais de belezas indescritíveis.

Terça-feira (02/11/2010) – como tudo que é bom dura pouco, chegou o dia de voltar à realidade :(. Arrumamos nossas coisas pela manhã e seguimos na hora do almoço para o aeroporto.

O Júlio veio nos buscar e lá seguimos, já que não tínhamos escolha.

Hora de dizer tchau à nosso amigo Júlio

Seguimos em nosso vôo com escala em Brasília e chegamos em Curitiba 20:30h.

O que trouxemos dessa viagem? Em primeiro lugar a grande admiração pelo Júlio, que foi nosso guia, parceiro e amigo na viagem. Tivemos certeza que ainda existem pessoas muito honestas nesse mundo e o Júlio é uma delas. O Júlio é o “barão do Maranhão!”

Voltamos pensando também que o Brasil precisa melhorar muito, precisa de mais investimento em turismo.Os Lençóis Maranhenses são maravilhosos, mas para que a população do Maranhão possa melhorar de vida e se beneficiar desta maravilha natural, é preciso muito mais infraestrutura por lá.

Além disso, trouxemos conosco o reforço de que nosso país é muito mais lindo do que a gente pensa! Até o momento, considero os Lençóis Maranhenses o lugar mais lindo que já visitei no Brasil!

Anúncios

16 Comentários

Arquivado em Brasil, Maranhão, Nordeste do Brasil

16 Respostas para “Lençóis Maranhenses

  1. Adriana

    Amigaaaaaaa …. que saudades da nossa viagem! Do guaraná Jesus, do suco de cajá, dos cajus fresquinhos, do Rio Preguiças e até dos saculejos do jipe!!!
    Beijos

  2. May Rodrigues

    Chorei aqui… hahaha mas já me recompus.

    Sou Ludovicense, e me emociono muito quando recebo amigos de outros estados em minha casa, e eles dizem q se pudessem largar tudo, viriam de “mala e cuia” como vcs dizem, pra cá. Muitas vezes pelo ambiente, pela beleza, mas principalmente pelas pessoas acolhedoras e simpáticas q encontram por aqui.
    E mais emocionada ainda com a frase:
    “Até o momento, considero os Lençóis Maranhenses o lugar mais lindo que já visitei no Brasil!”
    Sou suspeita para lhes falar, mas de todos pedacinhos de maravilhas naturais q já vi no Brasil, eu sempre cheguei à conclusão de q meu Estado abriga um pedaÇÃO do paraíso…

    Quanto à pobreza: o MA deixou de ser o mais pobre do brasil. em 13 anos (1995 a 2008), o Maranhão reduziu de 53,1% para 27,2% a taxa de pobreza extrema (miséria) e agora ocupa a segunda posição dos Estados mais pobres do país. O primeiro é Alagoas com 32,3%.
    (mas na minha opinião e de muitoooos outros maranhenses acho q tem um Estado do nosso lado q merecia ocupar esta 2ª posição, mas…). Enfim, sei q meu estado precisa de muitaaaa infraestrutura, mas estamos esperançosos (sempre estamos) quando refletimos no passado e vislumbramos o porvir.
    O dado concreto é q nós já tivemos um 1º momento com o Porto, tivemos um 2º momento com a produção de alumínio, e agora estamos presenciando um 3º momento, e o mais vigoroso de todos eles, q é a construção da Refinaria Premium (petróleo).
    O q vai acontecer de novos investimentos… O q vai acontecer de hotéis, o q vai acontecer de restaurantes, de novas fábricas e consequentemente empregos… começamos a discutir a necessidade de indústria petroquímica, ou seja, daqui a pouco teremos um polo extraordinário aqui no Maranhão. E meus olhos enchem de lágrimas quando penso no quanto as famílias pobres principalmente as do interior do estado, e todos nós maranhenses em si, merecemos ‘finalmente’ tais melhorias.
    (…)
    O Guaraná Jesus… haha “groselha com gás” ainda estou na dúvida se gostaram ou não… tem traços de cravo e canela. rs
    Resultou de uma tentativa frustrada do maranhense Jesus, de fabricar um remédio. Deu errado, mas os netos do farmacêutico adoraram o xarope e hoje é o tal refri q nós amamos.

    Aqui venta bastante mesmo (e graças à Deus!)… as praias são turvas por causa dos rios…

    No mais, desejo q voltem sempre, e q sempre q voltarem vejam um estado cada vez melhor.
    Deixo uma matéria exibida no Jornal hoje exibida no dia 25/02/2011 (espero q venham para o Carnaval!)
    http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2011/02/sao-luis-do-maranhao-tem-mais-de-32-quilometros-de-praia.html

    Meu blog: http://mayhigh-low.blogspot.com/

    Abraço maranhense…

  3. Dani

    Oi!
    Sou do PR.
    Thais, em maio estarei nos LM, seu blog está me ajudando mtooo…
    E relacao ao Julio, seus comentarios só me deram mais certeza q estaria fazendo um bom negocio fechando o roteiro da viagem c ele.
    Nao resisti e dei uma olhada nas outras viagens q vc realizou. Simplesmnete fantastico!!!
    Volta e meia aparecerei por aki p acompnahr suas dicas.
    Bjs e mtssimo obrigada por compartilhar suas dicas.

    Boa viagem sempre!!!

    • Dani, tenho certeza de que não se arrependerá de fazer os passeios com o Julio! Que sonho ir aos Lençóis em julho, as lagoas estarão cheias e a paisagem mais linda ainda…. Apareça sempre pois fico muito feliz ao saber que consigo ajudar… Um grande beijo e boa viagem!!!!

  4. Obrigada por compartilhar sua viagem aqui!!! Estou me programando com minha família, vamos partir dia 23 de Brasília. Estou ansiosa e já decidindo os locais para visitar… Muito bom ter uma opinião!
    Enquanto estamos nos preparativos, posso fazer uma pergunta indiscreta? Qual a câmera que vc usa? Pois as fotos estão lindas! Parabéns!
    Bjim

    • Olá Gabriela! Obrigada pelo comentário! Espero que aproveite muito os Lençóis Maranhenses, um paraíso brasileiro. Até a viagem aos Lençóis eu tinha uma câmera Casio Exilim. Fica a dica aqui, que acho que não escrevi no post: proteja sua câmera com um papel filme para que não aconteça o que ocorreu com a minha, que deixou de funcionar devido à grande quantidade de areia que ficou presa na lente.
      Comprei nos EUA agora nas férias uma Sony DSCHX7V e é a câmera que tenho usado nas últimas viagens..
      Aproveite muito o Maranhão! Bjs

  5. Jussara

    Thaís, mais um ótimo post (não consigo clicar no x lá em cima e sair do blog. rs).
    Uma coisa que notei é que o sol lá parece ser de rachar, mesmo olhando pelas fotos, dá pra ver que o reflexo é grande.
    Concordo com vc que o Maranhão é bastante pobre, infelizmente, e tem um alto índice de analfabetismo tb; tudo isso “graças” ao tal Sarney e sua família, com anos a fio no governo. Ele deveria ter vergonha de ter feito o que fez com o próprio estado e sua população. Lamentável.
    Mas voltando ao que interessa: lindo pôr-do-sol. Um lugar que ainda quero conhecer. Realmente, o Brasil é lindo e tem muitos lugares incríveis. Pena que fazer turismo aqui dentro seja tão caro.
    Abraços.

    PS: vc faz Yoga? Vi duas fotos suas que lembram bastante alguns asanas.

  6. Thais, adorei seu blog, iremos para Lençois final deste mês, seu blog nos ajudou bastante. Não vejo a hora de comer a galinha mais cara do mundo KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  7. Patricia

    Estou aqui na dúvida se vou ou não pra Lencoies no feriado de Novembro. O que vc acha? Acha melhor ir em junho com todo mundo e lagoa cheia ou em novembro com menos agua e mais tranquilo? 🙂

    • Olá Patrícia!! Eu sinceramente acho que aquele lugar é lindo em qualquer época. Veja qual data fica melhor pra vc e vá em frente. Fui no feriado de novembro (15) e achei o passeio maravilhoso. O melhor de novembro é que já está chegando, rsrsrs. 🙂

  8. Carla freitas

    Thaís estou planejando este roteiro,São Luís e Lençóis, e seu relato é um dos mais completos que encontrei, será que você poderia passar este contato do Júlio pelo que entendi ele trabalha com turismo, é isso mesmo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s