Turquia – Istambul

Se alguém me perguntar qual a pior parte das viagens que faço, já tenho a resposta na ponta da língua: o voo… principalmente quando se trata de longo período dentro do avião. E para chegar a Turquia não foi fácil…. Foram 11 horas de viagem até Frankfurt mais 4 horas de espera no aeroporto para a conexão a Istambul.

Da Alemanha à Turquia, mais 3 horas de voo… imagina a nossa situação pensando que saímos de Curitiba às 18 horas da sexta-feira e chegamos em Istambul às 23 horas do sábado…. me canso só de lembrar!

E para ajudar, assim que pisamos em solo turco, descobrimos que não tínhamos por lá a educação europeia do povo, pois a fila da imigração era a maior zona… pessoas furando fila na maior cara de pau, como diria a Claudia, festa estranha com gente esquisita…..

No aeroporto mesmo começamos a perceber a maioria muçulmana do país.. nos sentimos peixes fora d’água com nossos trajes ocidentais.

Quando começamos a olhar os passaportes que as pessoas tinham em mãos, vimos gente do Azerbaijão, Uzbesquistão, Paquistão….e começou a cair a ficha de que realmente a Turquia seria um lugar singular.

Passado o stress da imigração, seguimos com o transfer que tínhamos agendado para o nosso hotel. Apesar de já ser quase madrugada, o calor era intenso.

Lembro-me de quando era criança e ouvia aquela música da propaganda da Faber-Castelll: “Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo….” sabe qual é? Tinha uma parte que dizia “…. Havaí, Pequim ou Istambul..” e que quando ouvi pela primeira vez fui pesquisar na enciclopédia onde era essa tal de Istambul…rsrs. E pensei, como é longe….

No percurso para o hotel, mesmo cansada, não continha minha alegria ao pensar que aquele lugar que na minha infância parecia tão distante, naquele momento era onde eu estava!!!!!

Neste percurso, o que nos chamou a atenção foi a quantidade de pessoas nas ruas…crianças jogando bola, jovens conversando, famílias tomando lanche como se fossem4 horas da tarde. Infelizmente não pudemos perguntar para o nosso motorista sobre este hábito pois as únicas palavras que ele falava em inglês era Hello e Thank you.. rs.

Chegamos no hotel, encontramos a Tati e o Lu que já haviam chegado e fomos muito bem recebidos pelo Ibrahim, o super recepcionista do hotel Q-Inn. A paixão que os turcos têm por brasileiros ficou evidenciada desde nossa chegada.

Ibrahim, que pouco falava inglês, repetia constantemente Alex Silva, Roberto Carlos (jogadores de futebol que atuaram na Turquia) para ser simpático conosco… mas como estávamos podres, seguimos rumo ao nosso quarto para uma merecida noite de sono.

1° dia – Blue Mosque, Hagia Sophia, Topkapi, Galata Tower

Depois de uma deliciosa noite de sono, tomamos o café da manhã tipicamente turco que contém: azeitonas, pepino, tomate, damasco, pães, café preparado à maneira turca ( não tive coragem de provar) e um suco de laranja que nada tem a ver com o nosso e seguimos rumo às principais atrações de Istambul: a Blue Mosque e a Hagia Sophia .

Uma preocupação que eu e Tati tínhamos era como se vestir em terras muçulmanas. Vesti uma bermuda e uma camisetinha, sem mostrar muita coisa e levamos um lenço para cobrir a cabeça caso fosse necessário. Confesso que com o calor que estava fazendo lá, preferia usar um shortinho e uma regata, mas não custa nada respeitar a cultura deles, não é mesmo?

Estávamos bem pertinho das atrações e fomos caminhando e seguindo as placas, que eram escritas em turco e em inglês.

Nossa primeira visita foi à Hagia Sophia, que atualmente é um museu e não mais exclusivamente uma mesquita. Impressiona pela arquitetura e pelo valor histórico que tem para os turcos.

Interior Hagia Sophia

Como é um museu, não precisamos cobrir a cabeça para entrar. Saímos de lá e fomos para a Blue Mosque, que é do outro lado da praça. Mas antes de seguir para a outra mesquita, paramos na praça para tirar muitas fotos. O lugar era tão bonito que não dava vontade de parar de fotografar…

Blue Mosque ao fundo

Trocentas fotos depois, seguimos para a mesquita, mas não sem antes dar uma paradinha para tomar o autêntico sorvete turco, que vale mais pelo show que os vendedores dão, que pelo sorvete em si que não tem nada demais e além de tudo é caro….

Show do sorveteiro

Para entrar na mesquita Azul havia uma grande fila…e para não estressar, eu e a Tati tiramos várias fotos com o lenço na cabeça, pois para entrar lá era obrigatório…

Nosso traje…

Hahaha.. a gente achava que o lenço era suficiente para entrar, porém para nossa surpresa teríamos que cobrir mais partes para podermos seguir e conhecer a mesquita por dentro.

Complementos de roupas

Ficamos muito pouco dentro da mesquita porque o fedor de chulé era insuportável. Além disso, achamos bem mais bonito por fora do que por dentro. Só tiramos algumas fotos e vazamos….

Nossa próxima parada era o Palácio Topkapi, que foi a residência dos sultões turcos por 3 séculos. Fomos caminhando pelas ruas turcas e observando as barraquinhas de milho assado, de castanhas assadas e um monte de ambulantes querendo oferecer livros, cartões e demais bugigangas. Para nós, tudo era atração.. principalmente olhar as mulheres todas cobertas com aquele calor de 40 graus e sentir o forte odor dos turcos… rsrs

Já era perto de meio dia e o sol estava de rachar. Uma companhia indispensável era a garrafinha de água e uma diversão à parte era barganhar o preço.. pagamos desde 3 liras turcas até 50 centavos..

Chegamos ao Topkapi e conhecemos alguns de seus aposentos. Não tivemos paciência de visitar tudo pois estava lotado, muitos cômodos não tinham ar condicionado e já estávamos com fome. Mas valeu a pena a visita, principalmente para entender um pouquinho da história turca.

Saímos de lá e fomos atrás de comida…o que escolhemos? Mc Donalds, rs. Pelo menos mostrar o número 1 em turco nós sabíamos… Mandamos ver os sanduíches, aproveitamos um pouco o ar condicionado da lanchonete e fomos para a segunda parte de nosso dia que envolveria usar o transporte público de Istambul. E lá fomos nós comprar os jetons ( fichas para utilizar os bondinhos turcos) e embarcar.

Fomos até a Galata Tower, uma das mais antigas torres do Império Bizantino e que hoje é uma das principais atrações turísticas de Istambul. A vista lá de cima é bem interessante, pois se pode notar os minaretes das mesquitas turcas no horizonte e o estreito de Bósforo como protagonista.

De lá, seguimos para o centro comercial de Istambul, para conhecermos um pouco mais do cotidiano turco. Pegamos o bondinho e seguimos meio sem rumo… até porque era difícil de entender as placas…

?

Chegamos até um calçadão e resolvemos andar por lá… nos empolgamos e andamos demais, até nos perdemos…rs Foi bem difícil acharmos o caminho de volta, mas encontramos.

Depois de um dia de muito passeio, fomos para o hotel tomar um bom banho, jantar e descansar pois ainda tínhamos muito mais para aproveitar.

2° dia – Cisternas e Ásia

Como no primeiro dia nós nos sentimos à vontade em relação à roupa, no segundo dia nos vestimos mais à vontade para encara o calor de 41 graus.

Neste dia, o Ibrahim preparou uma mesa especial de café da manhã pra gente, com direito até a melancia…

Ibrahim, nosso anfitrião

Bem alimentados, seguimos rumo às Cisternas e no caminho estava mais uma vez a Blue Mosque… e não é que paramos para tirar fotos mais uma vez?

As cisternas de Yeretaban foram o maior reservatório de água do Império Bizantino e logo ao entrar você já percebe a grandeza do espaço. É um ambiente subterrâneo que impressiona pela beleza das colunas, pelas luzes, pelos reflexos nas águas… pelos peixes que ali vivem. Não consigo descrever aquele local.. fiquei muito impressionada com tudo, mas principalmente por pensar que tudo aquilo foi construído em 532.

Como o ambiente é escuro, não conseguimos tirar muitas fotos que prestassem, mas a lembrança que tenho daquele lugar é indescritível….

Saímos de lá e seguimos para o Grand Bazaar, um dos maiores mercados do mundo. Como meta de compras, eu tinha apenas nosso imã de geladeira. Nossa principal intenção era ver a famosa negociação dos turcos.

O mercado é enorme e lá se encontra de tudo. Outra coisa que impressiona é que os vendedores escutam tudo que você fala, não importa em que língua. Depois de ir à Turquia, cada vez que falo de escuta ativa nos treinamentos de venda, me lembro de nossa experiência no Grand Bazaar.

E nem chegue perto de um produto que não queira comprar.. eles insistem demais. E se quiser comprar, nunca aceite o primeiro preço. A barganha faz parte da cultura turca, mesmo!

Lanternas turcas

Se perder no Grand Bazaar não é tarefa difícil. Minha dica é, se encontrar algo que goste e quiser voltar mais tarde para pegar, anote o número da loja…

Andamos muito por ali e quando saímos já era hora de almoçar. Comemos numa espécie de padaria por ali e seguimos rumo à parte asiática de Istambul.

Barco rumo à Ásia

A nossa missão na Ásia era visitar o estádio do time turco Fenerbahçe. Desembarcamos por lá e fomos perguntar como faríamos para chegar, achando que facilmente encontraríamos alguém que falasse inglês. Mas, para nosso desespero, não conseguíamos encontrar um ser humano que nos entendesse… antes de decidirmos voltar para a Europa, avistamos uma casinha que tinha algo de turismo escrito. E lá fomos nós….

Encontramos uma tiazinha que falava um inglês muuuuuuito básico, mas que conseguiu ao menos entender para onde queríamos ir. Ela foi bastante simpática e nos aconselhou pegar um táxi para lá, e inclusive ofereceu ajuda para dizer ao taxista as instruções.

Chegamos no estádio e tivemos a triste notícia de que não estava aberto para visitação naquele dia… ahhhhhh. Tentamos espiar pelos portões, pelas frestas, mas não fomos bem sucedidos.

Nada nos restava além de conhecer o museu e a loja do time 😦

Para voltar de lá, outra aventura. O taxista não conseguia entender de jeito nenhum para onde queríamos ir….Tentamos mímica, mostrar o mapa, mas nada…. sorte que o Luciano lembrou o nome da estação e disse. O taxista olhou assustado, ou aliviado…. kkkkk. A partir deste momento, o Luciano virou o tradutor oficial de turco….. nos matamos de rir com a cena.

Pegamos o barco de volta e tínhamos uma nova missão: ir até o maior shopping de Istambul, que ficava do outro lado da cidade… havia lido uma reportagem sobre o Ice Museum, que ficava instalado neste shopping e esse foi o motivo de nossa ida.

Pra falar a verdade, não valeu a pena cortar a cidade para ir nesse museu. Primeiro porque não podia tirar fotos, e além disso os funcionários eram super grosseiros e as esculturas nem impressionavam… Só levamos mijada lá dentro. Nada que a gente queria fazer era permitido. Furada total!!!! E além disso,estavámos beem distantes de nosso hotel  e já era tarde da noite. Mesmo assim aproveitamos para jantar no shopping e ainda fizemos umas comprinhas…rs

Depois de uma longa viagem, chegamos no hotel para arrumar nossas coisas pois no dia seguinte bem cedinho seguiríamos rumo a Éfeso e Pamukkale.

Istambul fica na mémoria por muitos motivos, mas principalmente pelo choque cultural que levamos. Não tem como você não pensar: como conheço pouco do mundo!! A diversidade das pessoas, o fato de estar em dois continentes, e o mix de oriente médio e ocidente faz de Istambul uma das cidades mais interessantes do mundo.

Anúncios

15 Comentários

Arquivado em Ásia, Turquia - Istambul

15 Respostas para “Turquia – Istambul

  1. Cássio Miranda

    Perfeito amiguinha…
    O mais complicado da viagem deve ter sido a dificuldade com o idioma! Pensava eu que com o inglês resolveriamos tudo, engano!
    Parabéns por mais uma viagem bem sucedida! bjus…

  2. Jo

    Mas a pessoa me vai a Turquia e come no McDonalds? Meu Deus isso é um sacrilégio!!!

  3. Renata

    Heheh, gostei do seu Blog, despretencioso e divertido… vou a Istambul no proximo mes…. depois te conto a experiencia, se interessar ‘e claro… mas valeu as dicas….Obrigado.
    Renata

  4. Maria Augusta

    Tenho uma dúvida: quanto levar para refeições em Istambul? Aceitam dólares ou preciso trocar por liras turcas?

    • Olá Maria! Os preços de comida na Turquia são muito parecidos com os do Brasil. Os valores vão depender do tipo de comida que escolher. Eu só comi fast food, não sei te dizer os preços de restaurantes. Vi poucos lugares aceitando dólares. Euro é bastante aceito.

  5. Marcela

    Oi Thaís! Esse é o meu primeiro comentário aqui, mas já sigo seu blog há algum tempo… Em primeiro lugar gostaria de agradecer a sua generosidade em compartilhar conosco as suas viagens! Em segundo, gostaria de uma opinião. Você acha que em um dia consigo visitar a Blue Mosque, Hagia Sophia, Topkapi e cisternas, sem correria? Ficaremos 2 dias inteiros (3 noites) em Istambul agora em Fev, mas gostaria de deixar um dia totalmente livre para um possível bate e volta na Capadoccia (vamos decidir lá, vai depender do cansaço e do $ nessa altura da viagem! Rsrsrs!). Ah! Vamos ficar no Q’inn por indicação de vcs! 🙂
    Bjs e obrigada!

    • Olá Marcela! Que bom ver seu comentário por aqui 🙂 Dei uma olhada no horário do pôr-do-sol em fevereiro em Istambul, e vi que é por volta das 17 e 40h, portanto, se começarem os passeios cedo, será bem tranquilo. Tanto a Blue Mosque quanto a Hagia Sophia são passeios rápidos, pois é só entrar, dar uma olhada e pronto. As cisternas ficam bem pertinho e o Topkapi também. Você poderá ir caminhando do Q Inn até todos esses pontos, portanto não dependerá de transporte público. Vá para a Capadócia, para não ficar arrependida como eu fiquei, rsrsrsrs e depois volte aqui para contar. Beijos e boa viagem!

  6. Marcela

    Obrigada por responder tão rápido Thaís!!! Que bom, mais um empurrãozinho pra nossa possível visita à Capadócia! O “problema” é q pra ir e voltar no mesmo dia tem q ser de avião, e os preços estão meio salgados…mas estamos avaliando as possibilidades! E vai estar um friiiio danado… preparar para congelar! Outra pergunta: vc sabe qual é o horario de visitação da Blue Mosque e Hagia Sophia? (não achei essa informação. Dos outros locais já consegui encontrar). Bjs!

  7. sheyla fonseca soares da silva

    oi , thais , adorei seu blog e achei super divertido a viagem voupara istambul e capadocia agora em junho ! Eu queria saber tem algum lugar que vc gostaria de ter conhecido em istambul ? nas mesquita as mulheres podem entrar de calças !? Pq vc não quis provar o café turco ? Desde já agradeço a atenção!

    • Olá, Sheyla! Em Istambul conheci tudo o que eu queria. O que faltou mesmo foi ir pra Capadócia 😦 Que bom que você incluiu no seu roteiro. Sem problemas as mulheres entrarem de calças na mesquita. Em algumas, o que eles pedem é para cobrir ombros e cabeça. Sou bem fresca para experimentar comidas e bebidas típicas, por isso que não provei o café turco, hehe. Te desejo uma excelente viagem e apareça sempre por aqui 🙂

  8. wisma

    Thais, e a Capadócia??? Por que não foram??? sou fãzona e vejo o blog sempre, vou à Turquia em Agosto e vc me inspirou qto à Pamukkale.

    bjocas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s