Bélgica – Brugges

Saímos de Paris rumo à Bélgica logo pela manhã no super trem Thalys utilizando nosso passe do Eurail, Global Pass pela primeira vez. Para utilizar alguns trechos do Eurail, é necessário fazer reserva; o trecho Paris – Brugges é um deles . Você pode descobrir esta informação no site ou perguntar na estação de trem. Algumas reservas são grátis e outras não. O Thalys, por exemplo, tem taxa de reserva. Mas fique tranquilo.. pra quem quer rodar a Europa, mesmo com essas taxas de reservas o Global Pass vale muito a pena.

Nosso trem saiu de Paris rumo à Bruxelas, onde faríamos conexão para Brugges. Acho o máximo viajar de trem pois é rápido, seguro, não enjoa, é confortável. Tudo de bom! E o Thalys é “o” trem, com direito a serviço de bordo e tudo mais. Descemos em Bruxelas, e rapidamente pegamos o trem para Brugges. Após uma hora de viagem, lá estávamos nós em solo belga.

Fizemos nossa reserva com bastante antecedência no Ibis, por 49 euros e ao nos informarmos na estação sobre o melhor jeito de chegar lá, fomos informados que poderíamos ir andando… oba! Economia à vista! Pegamos nosso mapa e seguimos. A moça da estação explicou o caminho e marcou no mapa, achamos que estava fácil.

Não sei porque carga d´águas, começamos a andar em círculos e nos perdemos um monte..kkkk. A temperatura estava amena e garoava, mas nem isso nos impediu de darmos boas gargalhadas ao percebermos que passamos 3 vezes pela mesma rua…

Rua em que passamos umas 3 vezes

Mas…como, camelar com mala não é nada bom, resolvemos parar e perguntar por onde deveríamos seguir.As línguas oficiais da Bélgica são o neerlandês, alemão e francês, mas, pelo menos em Brugges todas as pessoas que conversamos falavam inglês.

Olhando as placas, mesmo sem entender nada,achamos nosso hotel.

O bom é que Ibis é Ibis. Você já sabe o que esperar… mas esse Ibis era melhorzinho que os anteriores que havia conhecido, tinha até banheira (que caiu como uma luva depois de tanto camelar). Largamos nossas coisas lá e fomos desbravar a pequena e encantadora cidade de Brugges. A localização do hotel era ótima, perto de tudo. Seguimos pela rua do hotel até chegarmos na praça principal – uma das mais movimentadas atrações da cidade.

Antes de chegar à praça, você já parece que está em um mundo de conto de fadas… a praça apenas complementa essa sensação com suas casinhas coloridas e sua arquitetura única. O clima naquele dia estava bem maluco. Nas fotos acima, nublado, e nas abaixo sol… intervalo de 5 minutos no máximo…

Uma dica para todo viajante é sempre levar uma capa de chuva, pois quem é que quer perder um dia de férias só por causa do clima? O bom da capa é que você tem bem mais mobilidade do que com um guarda-chuva e se molha bem menos. Além disso, se estiver frio, ajuda a esquentar. Aparecer de capa nas fotos é apenas um detalhe charmoso, rsrsrs.

Depois de apreciarmos a praça central, resolvemos seguir rumo aos moinhos de vento que apareciam no mapa… e nesse caminho fomos apreciando a particularidade desta cidade medieval. As ruas estreitas chamam a atenção e os canais da cidade a deixam mais charmosa ainda.

Andamos bastante e finalmente encontramos os moinhos de vento, porém não tinha nada de mais lá 😦 Nem os moinhos eram tão bonitos como eu imaginava.

Mas mesmo assim o passeio foi válido para conhecermos Brugges além de seus pontos turísticos.

 

Thaís - doces

Loedi - cervejas

Voltamos para a área turística de Brugges, onde são comuns os passeios de barco pelos canais e passeios de charrete pelas ruelas da parte central.

Além disso, vários restaurantes complementam a paisagem. Como estamos na Bélgica, o que não faltam são lojas de chocolate belga (caríssimos, diga-se de passagem). Compramos apenas alguns para trazermos de lembrança para mãe e sogra. Hummm, são deliciosos!

Continuamos nosso rolê por ali, sentando de vez em quando para curtir o ambiente bucólico…Aliás, para mim o adjetivo que melhor define Brugges é esse: bucólica!

Depois de um dia intenso de caminhada pela cidadezinha belga, nada mais justo do que passar na padaria, comprar uma comidinha e ir direto para o hotel descansar.

No dia seguinte, tínhamos que pegar o trem às 6 e 30 da manhã rumo à Holanda.

Indo à Europa, não deixe Brugges de fora. Achamos que um dia foi suficiente! Um lindo “mundo de faz de conta”  há poucas horas de Paris.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Bélgica, Europa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s