João Pessoa

Estava eu um dia estressada com tudo e com todos, ficando doente quase toda semana, e passando só o final de semana em casa de tanto viajar a trabalho quando tive uma ideia: por que não viajar no feriado de Corpus Christi que estava chegando? Seria um ótimo remédio para aquele período hard…. Objetivo: descansar!

Resolvi dar uma olhadinha no site da TAM pra ver se conseguiríamos viajar com milhas, uma vez que a grana também estava curta… Queria ir pra algum lugar que ainda não conhecesse e de preferência no Nordeste, pois já era maio e as temperaturas em Curitiba não estavam nem um pouco agradáveis :S

Minha primeira opção era João Pessoa e não custava nada tentar….meio incrédula, fui fazer a busca. E não é que deu certo? Consegui passagens em horários bons saindo na quarta à noite e voltando no domingo… iupi!!!!Como estava em temporada de muitas viagens no trabalho, foi bem fácil negociar a folga para a sexta.

Passagens compradas, fomos pesquisar hotel. Uma ótima relação custo-benefício foi o Atlântico Praia Hotel, na praia de Tambaú, que pelo que tínhamos lido, era uma excelente localização. Optamos por esse hotel e já reservamos. Como chegaríamos de madrugada, compramos também o traslado aeroporto-hotel-aeroporto com uma agência de turismo aqui em Curitiba ( não me lembro quanto…) e também um city tour.

Na ida, fizemos conexão no RJ. O voo soi supertranquilo e o traslado deu certo. Chegamos no hotel lá pelas 3 horas da manhã e podres…

Quinta-feira:

João Pessoa, ou Jampa, é conhecida como a cidade onde o sol nasce primeiro.

Se em todo o nordeste é comum acordarmos achando que perdemos a hora por causa do sol alto logo cedo, em Jampa a sensação é mais forte ainda.

Levantamos e fomos apreciar o delicioso café-da-manhã do hotel… hummmm. Tinha um bolo de milho que me dá água na boca só de lembrar. Outro bolo maravilhoso é o “Baeta”, típico da região… que saudades!

Bem alimentados, colocamos roupa de praia e lá fomos nós.

Pela primeira vez na vida -viajando a lazer- fiquei hospedada bem em frente à praia. Era só atravessar e já estávamos na praia de Tambaú. Que coisa boa…

Levamos toalhas do hotel e ficamos deitados na areia curtindo o sol, o calor e o mar bem calmo e quente à nossa frente.

Ficamos lá um tempo e depois fomos dar uma andada na orla pra conhecer as redondezas.  João Pessoa é uma cidade calma e nem parece capital. O povo, assim como nas demais cidades do nordeste, é extremamente acolhedor e simpático.

Orla de João Pessoa

O sol estava muito forte, por isso resolvemos sossegar o facho em Tambaú mesmo e curtir a praia. Alugamos 2 cadeiras de praia e um guarda-sol por 10 reais e lá ficamos….

As praias não estavam lotadas, e amamos isso… pudemos ficar lá tranquilos, só curtindo a paisagem até a hora em que a fome apertasse.

Depois de muito descansar, fomos até uma barraca de praia comer alguma coisa. Pedimos alguns belisquetes e almoçamos. Foi o tempo de terminarmos de comer e começar a chover muito forte…. Como estávamos com traje de banho, nem ligamos. Como estávamos de folga, resolvemos atravessar a rua na chuva e ir se deliciar numa sorveteria enquanto estivesse chovendo.

Junho no nordeste é período de chuvas. O bom é que a chuva vem e vai rapidinho. Foi o tempo de tomarmos o sorvete para o sol raiar de novo.

Já era quase umas 4 horas da tarde e ao invés de voltar para a praia, optamos por curtir o restinho de dia na piscina do hotel.

Eis aí um ponto fortíssimo do hotel : a piscina fica no terraço com uma bela vista da orla. Além disso, tem uma jacuzzi deliciosa para um final de dia.

Vista do terraço

E foi ali na jacuzzi, tomando refri e comendo mandioca frita que ficamos até o anoitecer… eita vidinha mais ou menos!

Tomamos banho e fomos procurar um lugar para jantar ali pelas redondezas. Ficar hospedado em Tambaú é ótimo por isso, você tem acesso a tudo. À noite é bem gostoso caminhar na orla, pois tem um monte de ambulantes vendendo de tudo, como uma feirinha.

Jantamos numa pizzaria, fomos até o mercado de artesanato que ficava a algumas quadras do hotel e voltamos para dormir cedo.

Mercado de artesanato

Um dia tranquilo, em uma cidade tranquila… tudo que estava precisando! 😉

Sexta-feira:

O city tour que tínhamos comprado era pra sexta-feira. No horário agendado o ônibus chegou para nos pegar e lá seguimos para saber um pouco da história de João Pessoa e também da Paraíba. Não sou favorável a pacotes de viagem, mas acho city tour bacana pra te dar uma noção do passado do local. Quando vou ao nordeste, sempre que possível incluo um city tour no passeio.

A primeira parada do city tour foi no Farol de Cabo Branco e no mirante onde é possível ver a “Ponta do Seixas”, o ponto mais oriental das Américas.

Ponta do Seixas

Farol de Cabo Branco

Bem pertinho dali, paramos para tirar fotos no Museu da Ciência, mais uma bela obra de Oscar Niemeyer.

De lá partimos rumo ao centro histórico de João Pessoa, que infelizmente é muito mal preservado.

A primeira parada foi no antigo Hotel Globo, um ícone para a história de Jampa e que hoje funciona como museu.

Bem nessa parte do passeio começou a chover forte… Corremos pro ônibus e seguimos para a próxima parada: a Igreja de São Francisco. Até chegarmos lá, a chuva já tinha passado.

Como não achamos graça na igreja, fomos dar uma volta por ali até o horário combinado.

Antes do término do city tour, claro que o pessoal levou a galera num restaurante. Como nós não gostamos desses lugares pega-turista, fomos comer numa padaria próxima ao lugar de onde o ônibus ia sair. Aproveitamos o tempo pra conhecer mais um pouco as redondezas.

Voltamos para o hotel por volta de 14 horas e nossa missão era encontrar um bugueiro para fazer o passeio no dia seguinte e essa tarefa foi bem fácil. Com o roteiro do sábado definido, fomos curtir mais uma praia em Tambaú.

Mais uma vez, aproveitamos a piscina e a jacuzzi do hotel e fomos jantar por ali.

Sábado:

Combinamos com um bugueiro na frente do hotel um passeio pelo litoral sul por 110 reais. Pelas pesquisas que havia feito na Internet, o “Must See” de João Pessoa era a praia de Coqueirinho, que fica no litoral sul. É claro que não podíamos perder.

O nosso bugueiro super gente boa era o Franco, que na noite do dia anterior nos avisou que havia mais um casal interessado em fazer o passeio ao litoral Sul e que o preço iria ficar R$90,00 para nós dois. Opa! Melhor ainda.

Na manhã do sábado ficamos ali na frente do hotel aguardando o outro casal e nada deles aparecerem. Esperamos cerca de 30 minutos e nada. O Franco já não sabia mais como se desculpar com a gente. Como eles nãoa apareceram, lá fomos nós sozinhos no buggy. Mais tarde descobrimos que o outro casal havia ido com outro bugueiro que tinha trapaceado o Franco. Eis que então tivemos certeza da honestidade do bugueiro, ele nos disse que ia cobrar o mesmo preço, mesmo sem o outro casal pois nós não tínhamos culpa. Ficamos impressionados…

Lá fomos em direção ao litoral sul. O bom de ir de buggy é que os bugueiros conhecem todos os mirantes e lugares escondidos onde não chegam os carros. Logo na primeira parada, um mirante de onde podíamos observar as multicoloridas falésias da região e também as diferentes cores do mar da Paraíba.

Bem próximo dali, chegamos a Barra de Gramame, um lugar onde rio e mar se encontram formando uma bela paisagem. Ali também tem um bar que oferece diversas opções de porções e bebidas. Lá também tem um caranquejo de estimação..

À caminho de Coqueirinho, passamos pela “Pedra do Amor”, mais um daqueles lugares para se fazer juras eternas de amor.

Um pouco adiante, chega-se aos mirantes mais bonitos: o de “Dedo de Deus” e pela primeira vez se vê a tão esperada Coqueirinho…

Dedo de Deus

Mirante de Coqueirinho

A paisagem é deslumbrante…. ficar ali sentindo a brisa e o sol do nordeste com aquela vista é demais!

Como ainda não tínhamos chegado ao destino final, continuamos na estrada… A próxima parada foi nos “Cânions de Coqueirinho” – um labirinto de falésias com as mais variadas cores de formações.

Muito louco o lugar! Valeu a visita!

A praia de Coqueirinho estava ali do ladinho e a hora de vermos se realmente era tudo aquilo que falavam estava próxima….Paramos o buggy e caminhamos até a “entrada”… Nossa única frase foi: “Uauuuuuuuuuu….!”.

Realmente é um “must see” da Paraíba. Praia com água verde, morna e calma, rodeada por muitos coqueiros e vegetação. Lugar lindo!!!! Dava vontade de ficar a tarde toda por ali. Combinamos com o Franco que ficaríamos 3 horas por ali e depois seguiríamos nosso trajeto.

Como estava na hora do almoço, pedimos uma comidinha numa barraca na praia e pudemos almoçar contemplando a bela paisagem.

Após Coqueirinho, fomos à Tambaba que tem o lado A e o lado B. Lado A- praia para pessoas com roupas. Lado B- única praia naturista do nordeste.

O que chama a atenção em Tambaba A são as formações de pedras negras, que podem se parecer com o que sua imaginação permitir.

Já em Tambaba B….

Ah! Tambaba B você tem que ir lá pra ver.. rsrs. Importante: só é admitida a entrada de casais.

Nessas alturas do campeonato já estava quase anoitecendo. Após um dia intenso de passeios, pegamos a estrada rumo à João Pessoa que estava há uns 40 km dali.

Chegamos no hotel, fomos jantar e começamos a nos preparar psicologicamente para arrumar as malas e voltar para a fria Curitiba… 😦

João Pessoa está empatada com Natal, no segundo lugar de preferência das capitais do nordeste que conheço….

Voltamos com ótimas lembranças de tudo! O melhor de Jampa é que ainda não é um dos destinos mais badalados do nordeste, dessa forma os preços de lá são beeeem menores do que as demais capitais.

3 dias foram suficientes para conhecermos o que queríamos, mas é claro que muitas coisas ficaram de fora…

Como disse no início do post, meu objetivo para esta viagem era descansar e voltei de lá com este propósito atingidíssimo! 🙂

Que tal passar um final de semana ou um feriado em João Pessoa?

11 Comentários

Arquivado em Brasil, João Pessoa, Nordeste do Brasil, Paraíba

11 Respostas para “João Pessoa

  1. Pena que quando vc foi em Tambaba estava nublado, é tão lindo la *——-*

  2. Pat

    Eu também conheci as praias de Cabedelo, ao sul de João Pessoa, em março de 2010. São todas lindas. Só uma correçãozinha: somente casais e mulheres desacompanhadas podem entrar em Tambaba. Homens sozinhos são proibidíssimos.
    Adorei seu blog, bem gostoso de ler. Fiquei com vontade de ir a Grécia… Quem sabe, ano que vem!

  3. Patydiva

    otima texto me senti na propria JAMPA! parabéns! e dicas maravilhosas pq esta semana estou indo deu pra ter uma otima noção do que vou fazer…

  4. Oi.Li seu blog e achei muito gostoso.Estamos indo em abril.Não li comentários sobre as praias do norte.Você foi?Tinhamos pensado em alugar um carro ,mas pelo que percebi o ideal é contatar um bugueiro não é?Você tem o contato do Franco?Gostei da honestidade dele.Abraços.Ivone

  5. Jamila Andrade

    Oi Thais, tudo bem?
    Estou indo pra João Pessoa no final de março, estou com medo de chover…
    Você foi em abril mesmo??? Quero muito vert o mar verdinho!!!
    Abraços!

    • Tudo bem Jamila! Fui checar a data em que estive lá: 04/06/2010, bem na época de chuvas deles. Como relatei no post, só pegamos pancadas rápidas que não atrapalharam nossa viagem. Para Maceió eu fui em abril e também não teve muita chuva não. Fique tranquila que vai dar tudo certo! Já o mar verdinho na beiradinha da praia é mais difícil nessa época, mas com certeza a paisagem compensa muito….
      Aproveite bastante, sua viagem já está chegando, que delícia 🙂 Beijosssssss

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s