EUA – Nova Iorque: parte 1

Como dormimos cedo no domingo, acordamos antes das 7 horas na segunda-feira. Sem pressa, tomamos o café da manhã e fomos para o primeiro dia de passeios em Nova Iorque. Tanto no domingo, quanto na segunda-feira, estava frio com temperatura de mais ou menos 14 graus. Com as roupas adequadas, começamos nossa aventura com a seguinte pergunta:

Como se virar no metrô de Nova Iorque?

Bem, já adianto que não existem dicas no mundo que evitem que você pegue metrô pro lado errado, rsrsrs. Faz parte da aventura! O que existem são pequenos macetes para que você minimize este risco.

Primeiro ponto: lembre-se que o metrô de Nova Iorque é um dos maiores do mundo. Ótimo pelo lado da facilidade de locomoção, porém as chances de fazer caca aumentam significantemente, rsrs. Mais uma vez fica a dica do passe ilimitado que pode te poupar alguns dólares em caso de erros.

Com a bagagem de viagem que temos com os 16 países pelos quais já passamos, o metrô de NYC dá show em abrangência, mas deixa a desejar nos quesitos de sinalização e manutenção das estações. Eu e o Loedi brincamos que para se entender no metrô de NYC é preciso estar no nível 2 de leituras de mapas e placas, rsrsrsrrs.

O mapa

Em qualquer estação é possível pegar o mapa de graça nos guichês de atendimento. É IMPOSSÍVEL viver sem ele! O mapa é enorme e a dica para facilitar é que você o deixe dobrado na parte que irá usar mais.

Situação do mapa após ser muito usado

Um ponto ruim do mapa do metrô é que não sinaliza as atrações turísticas. Para facilitar a nossa vida, marcamos todos os pontos que queríamos ir. Por que é fácil você saber que para ir ao World Trade Center tem que pegar essa linha, agora quem é que vai adivinhar que para ir à Estátua da Liberdade tem que ir para uma estação chamada Bowling Green??  Por isso, marcamos tudo no mapa.

Para planejarmos a melhor maneira de visitar os pontos turísticos e as lojas que queríamos conhecer, criei um mapa no Google Maps e tracei as rotas para cada um dos locais. Dessa forma, pudemos visitar as atrações próximas de uma só vez. Como não tínhamos a intenção de sair do hotel com o computador, anotava numa folha de papel as instruções de transporte para cada atração e dia de passeio.

Com o mapa, o planejamento e as anotações em mãos, podíamos sair do hotel tranquilos para aproveitar a cidade.

Outra coisa que ajuda no metrô são as informações que alguns trens têm. Elas mostram a direção e as estações em que irá parar e também as possíveis conexões.

Se tiver na dúvida sobre a direção do trem, dê uma espiadinha pela janela e tente ver qual a próxima estação.

Outro termo que é bastante usado é Uptown e Downtown. Às vezes esta é a única indicação que tem nas placas. A dica aqui parece óbvia, mas confunde bastante. Sempre que quiser ir pra baixo no mapa, escolha o trem sentido downtown e sempre que quiser ir pra cima, uptown….Vai dar nó na cabeça, certeza! Mas depois pega no tranco….rsrsrs

Outra coisa a ser observada é que cada estação de metrô tem um layout nas ruas. As indicações de metrô não são padronizadas. Sendo assim, quando você menos espera se depara com uma estação. Coisas que você começa a notar no dia-a-dia….

Com estas premissas básicas e com força nas pernas para subir e descer muitas escadas no metrô (as escadas rolantes são escassas) , lá fomos nós com a cara e a coragem desbravar Nova Iorque.

Segunda-feira:Times Square, Wall Street, Battery Park

Uma de minhas maiores preocupações em Nova Iorque era não fazer da visita à cidade apenas um tour de compras. Confesso pra vocês que é bem díficil não deixar isso acontecer, pois as tentações estão em toda a parte. E se você bobear, passa toda sua estadia em lojas…. Como queria o Ipad, começamos o dia em busca dele, mas não encontramos… Aliás, nem vou relatar aqui todas as vezes que fomos atrás do Ipad pro post nào ficar chato pois o final da história é sempre o mesmo:não encontramos!

Um dos lugares bacanas que passamos, em nossa busca pelo tablet, foi pela Union Square.

Dali seguimos para um dos cartões postais mais famosos de Nova Iorque: a Times Square. Descemos meio que sem querer numa estação que achávamos que era a errada quando de repente demos de cara com os mega letreiros na Times Square.

A Times Square é mais um daqueles lugares que você sempre vê na televisão, em fotos e etc, mas que quando vê ao vivo é outra emoção. Estar ali é único! Parece que o tempo para pra você ficar olhando para todos os lados…

Uma coisa que achei legal é uma câmera que fica instalada ali e mostra todos que passam pela calçada no telão…dá pra brincar de “Onde está Wally?”

Cadê Thaís e Loedi no telão?

Tiramos muitas fotos por ali e seguimos rumo ã Wall Street. O que queríamos por lá? Tirar foto com o famoso touro.

Descemos na estação Wall Street e fomos procurar o famoso símbolo da área financeira de Nova Iorque. No meio do caminho, encontramos a Daffys, uma loja enorme de roupas e demos uma parada para vermos os preços. De lá, fomos almoçar num Subway por ali e logo achamos o “Charging Bull” para tirarmos fotos.

Seguimos caminhando por ali e passamos na frente do National Museum of American Indian, uma bela construção.

Como estávamos bem na frente, demos uma passda no Battery Park que é o local de onde partem os barcos rumo à Estátua da Liberdade. Neste parque fica uma escultura que antes de 11/09 ficava no World Trade Center e em homenagem às vítimas do ataque terrorista, há uma chama eterna. Pela situação que ficou a escultura, é possível imaginar o fato…

…. ficou assim.

Outros personagens marcantes do Battery Park são os carinhas vestidos de Estátua da Liberdade que ganham uns trocos tirando fotos com os turistas.

Saímos dali e fomos caminhando até o local onde ficava o World Trade Center… uma área enorme e na qual já está sendo construído outro edifício. Caminhando para o metrô, passamos por outra big loja: a Century 21, uma enorme loja de departamentos. Perdemos um tempo por lá e só comprei uma blusinha. Não tivemos muita paciência pra enfrentar a lotação e a bagunça da loja.

De lá, seguimos para um shopping bem afastado do centro, o East River Plaza, pois queríamos ir numa loja chamada Target (uma loja de departamentos gigante) em busca de malas. O tal do shopping fica na periferia de Nova Iorque, lugar sinistro. Felizmente correu tudo bem, achamos a Target e voltamos de lá com sacolas cheias de roupas, porém sem as malas….

Saímos do hotel às 9 da manhã e chegamos de volta quase às 9 da noite. Nosso primeiro dia durou 12 horas de andanças, fotos e compras. Podres, somente compramos umas porcarias no posto ao lado do hotel, jantamos e papuft! Soninho gostoso para enfrentar a terça-feira!

Anúncios

7 Comentários

Arquivado em América do Norte, Estados Unidos, Nova Iorque

7 Respostas para “EUA – Nova Iorque: parte 1

  1. Flavia

    Oi querida amiga! adorei! suas fotos estão lindas e seu relato ótimo como sempre, parece que estamos viajando com você. To anotando td!!!! bjossssssssssssss

  2. Bia

    Taís, amei seu blog e seus comentários! Parabéns!! Poderia me dizer como vc chegou nesse shopping q tem a Target? Será q consigo o mapa do metrô de NY na net? Estou indo p lá em Outubro, não ia levar meu Netbook mas lendo seu blog fiquei na dúvida, e o acesso a internet como falei se levar? Obrogada, beijos!!!

    • Olá, Bianca! Com certeza na net tem vários mapas do metrô de Nova Iorque e tem o Nova York.com que traz muitas dicas úteis. Uma dica para você ver o trajeto para a Target é colocar no Google Maps o endereço do seu hotel e da Target (que você encontra no site). Não me lembro bem como fiz pra chegar, só lembro que demorou quase 1 hora no metrô e a região era meio sinistra, rsrsr. Eu recomendo levar o netbook sim, pois em quase todos os lugares tem wi-fi grátis e a praticidade que se tem com internet para traçar rotas e fazer pesquisas certamente compensa o incômodo de ter que carregar o equipamento. Obrigada pelo comentário! Beijos e um ótimo final de semana!

  3. Aline Durante

    Ameiiiiiiiiiiiiiiiiiii teus posts.
    Realmente hoje eu tive boas descobertas, é o segundo site que me fornece infirmações ótimas.
    Detalhe, é o segundo e eu não tinha até agora encontrado nenhum que realmente fosse útil e tão bem escrito.
    Parabéns pelo trabalho e obrigada por todas as dicas maravilhosas!!!
    Vou ler sempre.
    Att
    Aline Durante

  4. António

    Olá, o meu nome é António e sou de Portugal.
    Vou visitar NY em finais de Março e vou tar lá 2 dias inteiros, será que me podias ajudar a planear esses dias, visitando as principais atrações?
    Há 3 locais em que tenho dúvidas se vale a pena perder tanto tempo:
    – visitar a Estátua da Liberdade
    – o Zoo de Central Park
    – entrar em algum museu.
    Muitos parabéns pelo teu blog.

    • Olá, Antonio! Obrigada pelo comentário, o primeiro internacional! Como você tem apenas 2 dias, acho que não vale a pena encarar o passeio da Estátua da Liberdade se as filas estiverem muito longas. O passeio é legal, mas não vale mais que 2 horas. O zoo do Central Park é bem pequeno, não acho que valha a pena. Eu só fui porque queria ver o urso polar. Em relação ã museus, eu não sou muito fã e não vou opinar pois não visitei nenhum quando estive por lá. Dizem que em Nova Iorque encontram-se grandes acervos…. Um abraço e boa viagem!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s