EUA – Nova Iorque: parte 2

A terça-feira amanheceu ensolarada e mais quente que os dias anteriores. Para garantir, levamos blusa na mochila e saímos com menos roupas. As únicas atrações que dependiam de tempo bom em Nova Iorque eram a Estátua da Liberdade (por causa da vista do skyline de Manhattan) e a visita ao Rockfeller Center. Como na previsão do tempo dizia que a quarta-feira seria mais ensolarada ainda, resolvemos arriscar e deixar este passeios para o outro dia.

Planejamos outros passeios para a terça….

Terça-feira: Central Park, Central Park Zoo, Chinatown, ONU, Brooklyn Bridge.

O Central Park é enorme e desde o início sabíamos que não seria possível conhecer o parque inteiro. Como queríamos ver o urso polar no zoológico de lá, entramos na esquina do Central Park com a Quinta Avenida e seguimos ao zoológico.

O que mais impressiona no parque é você olhar para os lados e notar que está no meio da selva de pedras… As árvores e os arranhas-céus formam um contraste bem interessante.

Andamos um pouco por ali e logo achamos o Central Park Zoo. Já tinha lido relatos dizendo que o zoológico era bem fraquinho. Optamos por ir lá só pra ver o urso polar. Ingresso: 12 dólares.

Com o mapa em mãos, seguimos as indicações para ver o urso e após poucos passos chegamos ao recinto do bichinho. Como o dia estava bem quente, o encontramos nadando.

Existem vidros que permitem a observação do ursinho nadando e foi algo realmente interessante observar os movimentos do bichinho debaixo d’água. Passamos alguns minutos ali olhando, olhando e se impressionando com o tamanho do urso polar.

Saímos de lá e fomos vê-lo de cima…. lindo! Por ter visto o bichinho, valeram os 12 dólares.

Já que estávamos ali, por que não conhecer o Zoo todo? Caminhamos mais um pouco e fomos seguindo as placas, porém não conseguimos ver mais nada pois os bichos estavam todos escondidos.

A única atração que conseguimos ver foram os pinguins, que ficam numa sala refrigerada. Muito fofos e pentelhos…. fazem a festa debaixo d’água! Super legal também.

À procura da saída do zoo, pudemos ver os leões marinhos e as focas que estavam tomando um banhinho de sol após terem enchido a pança.

O zoológico é realmente bem pequeno e com poucas atrações, porém achamos que valeu a pena por causa do urso e dos pinguins. Só isso!

Já era quase hora do almoço  e estávamos famintos. Seguimos andando pela quinta avenida para encontrarmos algum fast food e papar.

Depois do almoço, fomos até a Chinatown. Porém, não fomos muito com a “cara”do lugar e quase nem ficamos por lá. A próxima parada seria a sede da Organização das Nações Unidas – a ONU.

Não tem metrô direto até lá, e tivemos que andar umas 5 quadras…  O pior é você camelar e chegar no lugar e se decepcionar…..Por fora, a ONU é um prédio como outro qualquer…. totalmente sem graça!Ok, furadas acontecem….

De acordo com nosso plano para o dia, a atração seguinte era a Broolkyn Bridge. Pegamos o metrô e seguimos.

É bem fácil chegar lá: só pegar o metrô F, ir até a York Station, seguir andando em direção ao rio e procurar pelo parque.  A rua acaba e você se depara com a ponte e a vista do Skyline de Manhattan. Não tem como você dizer outra coisa além de uauuuuuu. O lugar é incrível! Da vontade de você tirar fotos e mais fotos, mesmo sabendo que a maioria irá ficar igual.. rsrs.

Sabe os prédios de Nova Iorque que a gente vê nos filmes? A vista dali é igualzinha.

A dica é seguir caminhando pelo parque e se dirigir ao outro lado da ponte (você estará embaixo da ponte) e chegar até o parque mesmo. Lá é tudo ajeitadinho, muito verde, um ponto do Water Táxi e uma vista espetacular de Manhattan… É um lugar frequentado por mamães  e babás com seus bebês, um lugar família super bem cuidado.

Invista um pouco do seu tempo para sentar nos bancos com vista para o skyline e dar um merecido descanso para suas pernas. Com a brisa do rio batendo no seu rosto, o sol brilhando e você contemplando a paisagem, não dá vontade de ir embora. E pra que ir embora? Ficamos ali um tempão e sem nenhum peso na consciência, afinal, férias é pra isso mesmo! 😉

Após o descanso, fomos descobrir como voltaríamos para Manhattan. Encontramos um simpático tiozinho que nos deu as intruções para chegarmos ao metrô.

Pegamos o trem e seguimos para a Macy’s, que é uma superhipermega loja de departamentos com mais de 9 andares inteiros de tentações ao consumo.

Ficamos lá um bom tempo, mas saímos sem comprar nada. Continuamos andando pelas redondezas, achamos um Kmart (um supermercado que tem de tudo), compramos algumas peças de roupas por um ótimo preço e também providenciamos nosso jantar por ali.

Mais um dia chegamos ao hotel por volta das 21 horas e exaustos, porém totalmente encantados com Nova Iorque. Não cansávamos de repetir: que cidade é essa?????????

Quarta-feira: Estátua da Liberdade, Rockfeller Center e Central Park

Felizmente a previsão do tempo acertou e a quarta-feira amanheceu quente e com o céu limpinho, limpinho. Dia perfeito para conhecermos o cartão postal mais famoso de Nova Iorque: a Estátua da Liberdade.

É óbvio que não fomos só nós que tivemos esse pensamento. Aposto que grande parte  dos turistas também teve essa ideia.

A fila para comprar os tickets não era grande. Preço: 13 dólares para o passeio à Estátua e a Ellis Island. Porém a fila para embarcar no ferry dava voltas e voltas .

Tinha lido em algum blog que a fila demorava 2 horas e não queria acreditar que fosse verdade pois o sol estava escaldante e nem tínhamos passado protetor solar. Infelizmente foi verdade.

Existe a opção de você agendar a visita pelo mesmo preço do ingresso, porém você tem que contar com s sorte de agendar para um dia de tempo bom.  Para que quiser arriscar, a fila do ticket reservado é bem menor. Nós não quisemos correr este risco, portanto tínhamos que enfrentar as 2 horas debaixo do sol e ponto final!

Antes de embarcar no ferry, você passa pelo check de bagagem similar ao de aeroportos. Mochilas são permitidas.

No ferry que faz o transporte para a Estátua cabem quase mil pessoas. Se conseguir um lugar no andar de cima é melhor, pois você conseguirá ver melhor os prédios de Manhattan (se os milhares de braços dos turistas permitir, é claro!).O trajeto leva uns 15 minutos e o barco não balança muito.

Desembarcamos e antes de seguirmos para a Estátua, fomos almoçar pois já era quase 1 hora da tarde. Uma coisa que chama muito atenção nos EUA é o tamnho das porções de comida – enormes.  Nunca conseguimos comer tudo o que vem no prato e começamos a pedir uma porção para dividirmos e evitar o desperdício.

Alimentados, fomos tirar muitas fotos na Estátua da Liberdade e da vista que se tem dali. Assim como no Cristo Redentor, a estátua é só uma estátua, agora a vista é impressionante! Ma-ra-vi-lho-sa!

Após vermos tudo que tinha por ali, embarcamos para voltarmos à Manhattan. O barco ainda pára na Ellis Island, mas nem quisemos descer pois estávamos podres ao quadrado por causa do forte calor.

Ellis Island

Desembarcamos em Nova Iorque por volta das 15 horas…. contando desde a hora que chegamos para comprar os tickets foram 5 horas. Fica a dica para reservar mais ou menos este tempo para o seu planejamento do dia.

Saímos de lá e nos dirigimos à próxima atração que também tinha como pré-requisito tempo aberto: o Rockefeller Center. Muita gente vai à Nova Iorque e se programa para subir no Empire State Building. Um fator que nos fez optar por subir no Rockfeller ao invés do Empire State foi justamente para poder ver o Empire State, que é uma contrução linda e que é óbvio que de lá você não o enxerga…

Demos sorte ao chegar no “Top of the Rock”, nenhuma fila. Pagamos os 22 dólares e lá fomos nós. O elevador em si já é super legal…. não vou contar o que contece para não estragar a surpresa de quem tá querendo visitar…

Chegando na primeira parada a vista já é linda! O bom do terraço é que é ao ar livre. Neste primeiro, existem vidros que protegem do vento mas não prejudicam a vista.

Você pode subir mais dois níveis, e o que achei mais legal é o último, que não tem vidro nenhum.

No Top of  the Rock você enxerga toda Manhattan e com o folder que eles te dão na entrada é possível você identificar cada uma das construções. Ficamos ali por um tempo tirando muitas fotos e saímos.

O próximo lugar que queríamos conhecer do Rockfeller é o local onde se instala a famosa  árvore de Natal de Nova Iorque.

De lá seguimos nosso caminho rumo ao lado oeste do Central Park para conhecermos mais um pouquinho. Curtimos nosso final de tarde por lá, observando os americanos treinando beisebol, as crianças correndo atrás dos pombos, as pessoas correndo no parque… aproveitamos para deitar e aproveitar a paz e sossego do Central Park no meio da selva de pedras… delícia!

Saímos de lá e nos dirigimos ao hotel para mais uma merecida noite de sono 😉

Quinta-feira: Jersey Gardens Mall

Tínhamos uma lista de lugares para conhecer em Nova Iorque desde o planejamento da viagem. Combinei com o Loedi que se conseguíssemos visitar todos até a quarta-feira, poderíamos reservar um dia inteiro para compras no Jersey Gardens, que é um outlet shopping que fica a 40 minutos de Manhattan. Como já tínhamos completado todas as nossas missões, lá fomos nós.

Para ir até lá é super fácil: ir até o Port Authority , que é o terminal de ônibus, seguir até o portão 222, comprar a passagem de ida e volta na maquininha por 13 dólares e seguir no ônibus 111 ou 115. Tem uma plaquinha indicando.

Havia lido alguns relatos sobre o Jersey Gardens e as opiniões eram extremas: ou as pessoas amam ou odeiam aquele lugar. Eu estava curiosa para saber em qual grupo eu me encaixaria…..

Já na fila do busão percebemos que os brasileiros são frequentadores fiéis de lá… rsrsr Muitos brazucas!

Depois dos 40 minutos, desembarcamos bem na frente do shopping.

Era por volta de 11 horas e o shopping estava bem tranquilo. Logo na entrada, nos deparamos com uma loja de casacos de inverno por 10 dólares… o Loedi olhou pra mim e disse: aiaiai….

Caramba, dali pra frente só boas compras. Tudo muito barato! Eu sou bem mão-de-vaca para compras e não ligo pra marcas, portanto para eu achar barato é porque é barato mesmo. Como já estava em nossos planos comprar uma mala, logo de cara compramos uma para poder acomodar todas as nossas mercadorias.  Enlouquecida com os preços, combinei com o Loedi de nos encontramos na praça de alimentação em determinado horário e cada um foi para um lado para se divertir com as compras…

Almoçamos e continuamos nossa maratona. O shopping é enorme e as lojas também…brincando você fica uma hora em cada loja. Compramos, compramos, compramos e quando nos demos conta já não cabia mais nada na mala e já eram quase 7 da noite. Nem vimos o dia passar….

Exaustos, seguimos para o ponto de ônibus para voltarmos. Meu pensamento ao sair de lá: como podem existir pessoas que não gostam deste lugar? Rsrsrs. Achei o paraíso das compras, mesmo sem ter conhecido tudo…faltou tempo 😦

Chegamos no hotel e tínhamos a missão mais difícil até então: fazer caber tudo na bagagem para seguirmos no outro dia para Washington…  depois de aperta daqui, empacota dali, finalmente ajeitamos as coisas…

Além de muita bagagem ( literalmente,rs) saímos de Nova Iorque com excelentes lembranças. Notamos que aquelas lições das aulas de inglês que falam que os novaiorquinos são rudes é pura bobagem. Muitas vezes fomos ajudados com muita simpatia por pessoas que pareciam viver na cidade. Saímos ainda impressionados com a eficiência do transporte público em uma das maiores cidades do mundo. E é óbvio, refletindo sobre o impulso consumista que você tem por ali não só pelos preços baixos, mas pelo conjunto de fatores como a grandeza das lojas, as disposições dos produtos, enfim, o jeito americano de vender. Os 4 Ps de Kotler realmente funcionam por ali!

Nova Iorque é uma cidade que reúne caos e tranquilidade em pequenas distâncias. Entrar no Central Park deixa  bem nítida esta sensação..Reúne modernidade e antiguidade,  vendo a Times Square e a Estação Grand Central..ali, bem próximas. Divide-se entre o inglês e o espanhol (ainda estou na dúvida se ouvimos mais gente falando inglês ou espanhol…E muitos outros contrastes que você nota em sua estadia na Big Apple.

Outra coisa que não dá pra deixar de notar é a quantidade de brasileiros na cidade. Tem por todo lado! E não só brazucas, tem gente do mundo todo por todo canto… muitas vezes parecíamos estar numa torre de Babel.

Uma cidade louca e única, que com certeza merece mais que uma visita (e de preferência, em estações diferentes) Um lugar que sempre sonhei em conhecer e que superou todas as minhas expectativas.

Saímos de Nova Iorque reforçando a pergunta que fizemos logo que chegamos: “Nova Iorque: que cidade é essa?????”

Anúncios

20 Comentários

Arquivado em América do Norte, Estados Unidos, Nova Iorque

20 Respostas para “EUA – Nova Iorque: parte 2

  1. Doni

    Olá!!
    Estou acompanhando os posts de sua viagem, muito detalhados, ótimo para quem pretente fazer essa viagem fim do ano, com o roteiro bem semelhante..show!!
    Vocês não cheagaram a ir nos muses, Metropolitan, História Natural??
    Muito obrigado pela informações, esses detalhes, sempre ajundam no nossos planejamento. Vou continuar acompanhando, tha até no favoritos já..

    • Olá! Obrigada pelo comentário! Não planejamos visita à museus desta vez pois o tempo não seria suficiente, mas com certeza são passeios muito interessantes para se fazer em Nova Iorque Só passamos na frente do Museu de História Natural, que fica bem na frente do Central Park, mas não entramos. Ainda estou na correria da viagem, mas prometo em breve atualizar os posts das demais cidades. Até mais, e se tiver mais alguma dúvida, estou à disposição!

  2. Simone

    Oi Thais td bem? Fiquei apaixonada pelo seu blog, e mais ainda qd v diz que é mao de vaca..rsrsr tb sou assim. Bom preciso de sua ajuda, iremos , eu meu marido meus dois filhos um de 14 anos e um de 4 anos em novembro. Ficaremos apenas 3 dias. O foco da visita e os dois museus o de cera e o historia natural, gostariamos de ir no central park , estatua da liberdade. O problema [e o tempo, sao so tres dias, vc poderia me dar algumas dicas? bjs pedagogasimoraess@yahoo.com.br

    • Olá Simone! Obrigada pelo comentário! Vamos aos meus pitacos, rsrs. Em relação ao tempo que irá ficar em Nova Iorque, fique tranquila, pois é suficiente desde que você vá com todas as atividades planejadas para não desperdiçar tempo e que combine com a família toda o horário de levantar (cedo, é claro!,rs).
      Se o foco da visita são os museus, eu já começaria por eles no primeiro dia. Uma dica é pesquisar o horário de funcionamento de ambos e chegar no primeiro horário para evitar filas e poupar seu tempo. Não fui ao museu de cera de Nova Iorque, mas já estive no de Londres e com certeza no máximo em uma manhã dá pra ver tudo com calma e sem correria (corre-se até o risco de sobrar tempo). Você pode sair de um e emendar no outro – não sei como o seu filho de 4 anos reage a essa maratona, rsrs – fator a se considerar. Mas se ele se cansar, dá pra sair do museu de cera e ir dar umas voltas no Central Park, que também não será algo demorado, ainda mais com as baixas temperaturas de novembro. Se fizerem um museu em cada meio dia, sobram 2 dias para vocês curtirem a Big Apple.
      Para encaixar uma visita à Estátua da Liberdade nesse período, a melhor opção é agendar a visita, para evitar as 2 horas de fila e poupar o valioso tempo de vocês. Eu acredito que dá pra você aproveitar mais atrações em 3 dias, você vai ver! A dica é planejar bem certinho antes de ir e acompanhar os planos diariamente para que tudo ocorra da melhor maneira. Bjs e boa viagem!

  3. Simone

    Thais, muito obrigada pela ajuda!! Vc diz baixas temperaturas ? como quais por exemplo? De ter que usar botas, luvas? Hiiiiiiiiiii!!!bjs

    • Simone, eu sou bastante friorenta (mesmo morando em Curitiba não me acostumo com o frio) e a média de temperatura em Nova Iorque em novembro é de 8 graus. Eu usaria luvas e botas sim, rsrs. Mas é o de menos, pois a cidade deve ficar mais linda ainda nesta época. Bjs e bom feriado!

  4. Simone

    Thais, muito obrigada pelas dicas, no retorno posto aqui se vc nao se importar umas frases minimas se valeu passar por NY. Bjs

  5. Camila

    Oi Thaís!
    Vcs não se interessaram em ir num espetáculo da Broadway???
    Bjo!

  6. THIAGO-FLORIPA

    Ola Thais, meus parabens pelo seu blog! Eu e minha esposa estamos indo para NY no final de novembro, dia 23,chegamos lá dia 24..as 5:30 da manhã..iremos no hotel deixar as malas e tocaremos para os pontos turisticos.. eu poderia botar a lista de lugares e voce me dizer se será possivel faze-los em 4 dias inteiros.. pois viajaremos para orlando no quarto dia as 20 hrs.
    1 dia…ground zero, touro wall street, ir ate a ponta para bater a foto da estatua mas não iremos embarcar, fazer o passeio de helicoptero de 15 minutos, cruzar a ponte brooklyn bridge, chinatown (eu notei que vc nao gostou do bairro) , final do dia empire state building para ver durante o dia e a noite com as luzes acessas, times square a noite
    2 times square de dia, grand center, carminhar na 5 avenida catedral saint patrick proximo a loja da apple store, central park memorial imagine, museu natural e rockfeller, talvez broadway, não sou muito de musicais, mas vamos ver..
    3 e 4 dia até entao eu penso em caminhar pela cidade sem compromisso de visitar algum lugar especifico… voce acha muito ousado esse plano ou tem tudo pra dar certo? no quesito compras, como depois vou para orlando a taxa lá e mais barata e acho q consigo controlar minha esposa durante esses dias.. agora como voce ja foi .. gostaria muito do seu pitaco!
    sobre o metro, a mesma linha q eu pegaria sentido wall street, ela só desce, ou sobe tambem? marinheiro de primeira, sabe como é!

    Obrigado

    • Olá Thiago! Obrigada! Vamos lá para análise de seu roteiro…

      Primeiro dia: O Touro, o Battery Park ( onde é o ponto de embarque para a estátua) e o Ground Zero Sào bem próximos, portanto é tranquilo. Se o passeio de helicópetro parte daquela região, melhor ainda. Até a hora do almoço conseguirão fechar esta parte. Dali da para ir para a Brooklyn Bridge e Chinatown, que na verdade não gostei porque não fui na parte certa, rs 🙂 Para voltar e ir ao Empire State é sossegado também. Achei ótima a programação! É só preparar as pernas para rodar muito.
      Segundo dia: Beleza, também. A dica é só cuidar com a 5 avenida, pois ela é enorrrrmeee. Planeje-se para caminhar nos pontos que mais te interessam. Se optar por ir à Broadway, é bem fácil de chegar também.

      Seu roteiro é bem estruturado e você está aproveitando ao máximo seu tempo na cidade (eu adoro essa correria, rs). A dica que dou é para vocês já saírem do hotel com os planos de deslocamento, para evitar perda de tempo com isso. Tem tudo para dar certo sim!

      Torço para que realmente vocês consigam se controlar nas compras, rsrsrsrrsr. Nova Iorque é uma loucura!!! Mesmo com taxa mais barata em Orlando, em NY a variedade é bem maior. Além disso, se quiserem roupas de inverno, não irão encontrar nada de frio em Orlando. Dando meu pitaco, acredito que dá tempo sim de fazer umas compritchas na Big Apple…

      Todas as linhas de metrô fazem os dois sentidos. O bacana é você chegar lá e já pegar o mapa grátis na estação e começar a se achar. Se perder pelo menos uma vez no sentido do metrô faz parte da aventura!!!

      Aproveite ao máximo e boa viagem!

  7. Beli

    Amiga!!! Já mudei N vezes o roteiro, inclusive tirei outlet, mas depois q vi seu relato, vai voltar para o circuito, rs. Enfim, me dá uma ajudinha… Ah! Vamos ficar na regão q vc ficou tbm, mas não no mesmo hotel (Z hotel), pois não tinha vaga em um dia, mas também com café, inclusive telefone (DDI) free + transfer diário para Manhattan, depois te conto se deu certo mesmo (as estações de metrô não são tão perto, por isso eles compensam, é um atrativo, mas é um hotel botique e com vista de todos os quartos para a Baía de Manhattan e a ponte) :-).
    Olha, fiquei muito na dúvida quanto ao JG outlet em: 1 – A plataforma é fácil para pegar o bus em Port? 2 – Tem parada na porta do outlet para voltar? 3- Cartão é aceito em todas as lojas? É verdade q nos EUA eles preferem dinheiro (cash) a cartão, de uma maneira geral? Qual a melhor bandeira de cartão? E a volta? Penso em voltar para Port Authority e de lá pegar um táxi para o Queens, vc fez assim?
    Como eu penso em fazer o outlet, logo assim q chegar no JFK (6 da matina) pegar transfer para Port, lá pegar um bus 111 ou 115, né? (que parece sairem de 30 em 30min) e ir até a tarde lá, para depois dar entrada no hotel (já tá pago e confirmado) o chek out é tarde mesmo… (tenho fé q irei aguentar, rs depois de horas de voo e conexão e vindo de outro circuito – CE, rs), vida de viajante é fogo… mas é bom d+ 🙂
    Vamos tentar fazer o basicão de passeios e vê se rola um espetáculo e cirque (ou deixar para orlando ou um dia em Vegas, quem sabe Canadá).
    Não vamos comprar city pass, achamos não compensar, vamos ver como estará o clima e nossa disposição, tenho q chegar na cidade para ver, agora o metrocard certamente compraremos.
    Fico no aguardo da sua resposta. Abs
    post grandão…rs

    • Oie!!! Tudo bem? Que chique, hein? Ficar em hotel boutique… 🙂 Quero ver fotos da vista do quarto quando voltar!

      Vamos às respostas:

      1 – é bem fácil sim, é só seguir as placas. A estação é bem sinalizada.
      2 – pra voltar vc pega o ônibus no mesmo lugar que desceu. Para ter mais certeza ainda, quando descer do busão fale com o motorista.No ponto de ônibus também tem placa.
      3 – Cartão é aceito em todos os lugares. Paguei tudo com cartão e em nenhuma loja que fui eles preferiam cash. Cartão é muito comum por lá, tanto Visa quanto Mastercard.
      4 – Como fiquei perto da estação do metrô, segui de Port Authority até o Queens de metrô mesmo. O que vc pode fazer para gastar menos é seguir de metrô até uma estação no Queens e de lá pegar um táxi. É uma boa economia!
      5 – Que pique para fazer o outlet logo na chegada! Mas creio ser possível sim, uma vez que a adrenalina das compras é maior que qualquer cansaço! Só confira no site do JG o horário de abertura das lojas no dia da sua visita.Se tiver que esperar muito, prefira ficar um pouco em Port Authority, que pelo menos tem o que se ver.

      Beijos e bom final de semana 🙂

  8. Beli

    Vc pegou o ferry em qual Pier? Tem um Ferry que é gratuito, vc sabia? Onde vc achou melhor preço de mala no JG (em média $$..?) Abs

    • Ferry para a Estátua da Liberdade? Não entendi :S Sei que tem um grátis que leva de Manhattan para o Brooklyn e dele dá pra ver a estátua, mas nesse passeio eu quis fazer a versão turistão mesmo. Comprei uma mala de poliuretano grande com 4 rodinhas na Marshalls que é uma mega loja lá no JG (tem em todo os EUA). Paguei 69 dólares. No JG vc verá várias lojas só de mala, mas nessas elas são mais caras. Bom domingo!

  9. Ana Paula Alvarenga

    Nossa, bom demais esse blog! Parabéns! Estamos indo para EUA (Orlando, Massachussets e N.Y) agora em Julho e você ajudou muito! Espero não ter muitos problemas ao desembarcar no aeroporto, meu único medo até o momento. Tanta gente falando tanta coisa sobre eles não deixarem a gente entrar no País que bate um medinho. Vamos eu, meu esposo e minha filha de 06 anos, iremos fazer os passeios com meu irmão que mora há quase 05 anos lá em Summerville. Obrigada por todas as dicas, e tentaremos ver o urso polar!

  10. Tieli Munhoz

    Oi Thais, primeiramente não posso deixar de falar que seu blog esta virando a minha bíblia rs… todos os dias eu leio um pouco rs…Sou louca por viagens como vc, como quando era mais nova não tinha dinheiro p/ viagens, perdi muito tempo, sem conhecer o mundo, quando comecei, eu acabei fazendo partes do Brasil, pois era mais barato, e fui seguindo para Paraguai , Argentina, e o Ano passado meu sonho se realizou, fui a Disney pela primeira vez, agora não quero mais parar, ano que vem vamos para Disney novamente, agora com 18 dias para dividir entre Disney, Miami e Nova York, claro que lendo seu blog, já mudei varias coisas rs…Só os parque que não pois como vou com meu pequeno quero fazer novamente 1 por dia e aproveitar muito cada detalhe…rs
    Gostaria de saber mesmo sobre Nova York, pois agora que posso viajar mais, tem uma jóia rara que tenho que cuidar muito, que é meu filho de 4 anos, por isso gostaria de saber sobre Nova York, vc acha que 3 dias lá seria tranqüilo, e que conseguiria me localizar bem com metro (como vcs fizeram) tb gosto de economizar, ainda mais estando 18 dias fora do Brasil rs… Você se importaria de me ajudar com algumas dicas sobre pontos turísticos com criança de 4 anos, e metro que é meu medo maior? rs…
    Ficarei no aguardo.
    bjs
    Tieli

    • Olá Tieli! Bem-vinda ao blog! Fico muito feliz com comentários como o seu 🙂 Acredito que em 3 dias você consiga aproveitar o que Nova York tem de melhor. O metrô de lá é muito bom e abrange todas as atrações turísticas da cidade e fora dos horários de pico, é super tranquilo. Não tenho filhos ainda, mas acredito que seja fácil se virar com criança por lá devido à excelente estrutura de tudo. Também não vejo problemas de visitar os principais pontos com criança, como a Estátua da Liberdade, o Central Park e os principais museus da cidade. Nova York é tudo de bom, vc irá amar! Se tiver dúvidas específicas, por favor me escreva!
      Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s