Praga: parte 2

Descemos do metrô na estação Namesti Republiky, que é bem próxima à cidade velha que é a área mais turística de Praga. Por ali também que se localiza o shopping que tínhamos ido na noite anterior.

De lá seguimos para a Old Town, onde fica o relógio Astronômico que seria a última atração de nosso check-list.

No caminho, passamos pela Municipal House, uma linda casa de espetáculos e no Powder Gate, que no século XI era uma das 13 entradas para a Old Town.

Se estávamos achando Praga cheia, ali na Old Town estava lotadíssima! Mesmo com a chuva e com o frio, o povo estava em peso na principal área turística da capital tcheca.

Estava acontecendo na Old Town Square o recheado de delícias Mercado de Natal de Praga. Em meio a tantos cheiros e aparências deliciosas, não tivemos como resistir mais uma vez ao pão assado na churrasqueira… hummm

Após esse rápido pit stop, seguimos em direção ao famoso relógio e nos esprememos no meio da multidão para conseguirmos uma boa foto.

Fotos tiradas e frio dez vezes pior que há uma hora antes, decretamos o game over. Pensamos em almoçar no Mercado de Natal e experimentar alguma das deliciosas comidas ali servidas, mas ficar em pé naquele frio seria tortura. Demos apenas umas voltas por ali para registrar os últimos lances num dos lugares mais mágicos que já visitei… Old Town Square rocks!

Logo achamos um restaurante e mal pudemos acreditar quando sentamos num ambiente aquecido! Ufa! Sair da geladeira foi muito bom, rsrs.

O Fernando e o Loedi, optaram por um prato típico: goulash no pão. Eu e a Paula fomos de pizza, pra variar….

O duro após o almoço foi encarar a geladeira de volta, que nessas alturas já poderia ter virado freezer hahaha.

Coragem criada, saímos para comprar lembrancinhas, uma vez que a luz do dia já estava indo embora.

Comprinhas feitas, fomos ainda dar umas voltas no calçadão de Praga pra ver se a Paula encontrava carrinho para o bebê. Como não achamos nada, voltamos para o shopping Palladium onde passamos no supermercado para comprar guloseimas para o jantar e seguir para o hotel.

Naquele frio danado, o que eu mais gostava de dizer era: “Se estou na República Tcheca, posso tomar banho tcheco?”rsrsrsrrsrsr…. Ainda bem que o hotel era bem quentinho, e nem dava preguiça de tomar banho ao chegar lá.

Meu sentimento ao final deste dia foi de frustração… Estava triste pois não tinha conseguido tirar todas as fotos que eu queria e do jeito que eu queria, e também porque o frio estava muito forte e mesmo assim sem neve. Já que quase congelamos, que pelo menos aparecesse a neve para tirarmos umas fotos, não acha?

O mais frustrante foi acordar no dia seguinte e perceber que havia nevado, e bastante, de noitão…. Fomos dar umas voltas pelas redondezas e nos deparamos com carros ainda cobertos com gelo.

O sábado estava muito frio, mas com céu azul e sol brilhando. Seguimos pela avenida do hotel tirando nossas últimas fotos da República Tcheca e pensando que dali algumas horas a maravilhosíssima viagem estaria acabando.

Chegamos à um parque onde pudemos tirar as últimas fotos com as árvores sem folhas como cenário…

Voltamos para o hotel, terminamos de arrumar nossas coisas e agendamos o táxi para irmos ao aeroporto.

Somando o tempo de conexão em Zurique, nosso voo até Curitiba teria a duração de 25 horas 😦 e na véspera do Ano Novo.

No voo de volta, tivemos o azar de embarcar no mesmo voo de um alvoroçado time de basquete, que veio fazendo bagunça por todo o trajeto.

Passamos a virada do ano à bordo, com direito à brinde de champanhe gentilmente preparado pela Swiss Air, que aliás no meu conceito figura com uma excelente companhia áerea seja pela gentileza das comissárias tanto quanto pelo chocolatinho suíço que servem como mimo.

As 25 horas pareceram eternas, mas ao chegar em casa às 14 horas do domingo pensei que faria tudinho de novo. Foi uma viagem corrida, genuínamente express, mas que valeu muito a pena!

Foram experiências únicas que vivi nesses 6 dias! Na Alemanha, que já era uma queridinha conhecida. Na Áustria, que foi uma agradável surpresa. Na Hungria, que mostrou toda a exuberância do Leste Europeu e finalmente na República Tcheca que realmente comprovou a singularidade desta parte do Velho Mundo.

O frio incomodou? Claro que sim!!! quem leu todos os posts notou o quanto que reclamei do clima, mas como disse no post de planejamento essa era uma sensaçào que queria viver (pronto, já vivi, rsrsrs)

Viajar com minha irmã e meu cunhado foi muito bom! Vê-los vivenciando o primeiro mundo pela primeira vez foi bem bacana.

Como foi uma viagem com mais “luxos” que todas as outras que já fizemos, gastei o dobro do planejado, mas valeu muito a pena…. Mais um sonho antigo que se tornou realidade.

Não posso terminar essa série de posts sem responder 3 perguntas clássicas sobre este tipo de viagem nesta época do ano, agora que tenho minha opinião formada. Vamos lá….

1) As roupas de inverno aqui do Brasil dão conta do inverno europeu?

Apesar de que as roupas que levei terem sido compradas em sua maioria no exterior, acho que posso responder esta pergunta com toda a certeza: nãoooooooooooo.

Eu colocava casaco por cima de casaco + fleece e não era suficiente! É claro que sou friorenta ao extremo, mas se você pensa em viajar nessa época invista num bom casaco comprado por lá para minimizar seu sofrimento.

2) Vale a pena viajar no inverno europeu?

Minha opinião é que não! A menos que você já tenha ido em outras épocas e queira sentir a particularidade da estação. Para mim, o pior problema nem é o clima, mas sim a duração dos dias que é muito curta. Só quem já sentiu a noite às 3 horas da tarde sabe o quanto isso é ruim.

3) Conheço primeiro as capitais famosas ou o Leste Europeu?

Essa é uma resposta muito pessoal… Eu acredito que visitar primeiro Paris e Londres, por exemplo, te dá a chance de ver os opostos depois… Eu preferiria conhecer primeiro as glamourosas para depois poder contemplar o charme do Leste Europeu.

Bem, é isso! Termino aqui esta série de posts sobre uma das viagens mais interessantes e express que já fizemos. 4 países em 6 dias: nosso recorde absoluto até o momento 😉 Até mais!

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Europa, República Tcheca

2 Respostas para “Praga: parte 2

  1. Luísa

    O leste europeu é realmente lindo. Adorei seus posts de Praga, relembrar todos estes locais e experiências; só me deu ainda mais vontade de voltar lá.
    Parabéns pelo blog.
    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s