Arquivo da categoria: Morro de São Paulo

Morro de São Paulo: parte 3

E mais uma vez o dia amanheceu ensolarado. Ainda bem, pois para começar o sábado já tínhamos decidido que nossa primeira atração do dia seria a tirolesa. No caminho até lá, consegui tirar mais uma linda foto da parte mais marcante da segunda praia… Como disse a Cibeli, essa parte parece um cenário de tão linda que é. Tenho certeza que estando por lá vocês irão concordar que realmente é um daqueles lugares que você quer fotografar inúmeras vezes.

Para ser bem sincera com vocês, eu estava morrendo de medo de encarar os 70 m de altura da tirolesa, mas também não gostaria de ir até lá e não provar da mais famosa atração de Morro. O preço normal é de 30 reais por pessoas, mas conseguimos negociar nós dois por 50 reais. Meu pensamento ao chegar lá foi: vou logo de uma vez antes que desista, hehehe.

O dia estava limpinho e a vista lá de cima do morro estava maravilhosa…. Mais um ponto que me inspirou a encarar a aventura.

E já que era pra ir, fui de uma vez! Vesti os equipamentos e já estava pronta para me soltar….

Não pensei muito e tchau! Encarei a tirolesa de Morro de São Paulo e já estava lá na praia.. Muito boa a sensação! Nem deu tanto medo.

Em seguida foi a vez do Loedi, que também adorou a aventura.

Nos encontramos lá na primeira praia e demos muita risada.. Indo para Morro não deixe de ir na tirolesa pois a sensação é única! Ficamos ali um pouco vendo as outras pessoas pularem e em seguida voltamos caminhando para irmos até o Aquário Natural da Terceira Praia.

Bem na divisa da Terceira e da Quarta Praia, quando a maré baixa, formam-se piscinas naturais que ficam cheias de peixinhos, por isso o nome de Aquário. Um lugar com águas calmas e quentinhas…

Caminhamos por ali, ficamos observando os corais e os peixes e voltamos para  Terceira Praia, onde armamos nossa toalha para tirarmos uma sonequinha…. Sol+calor+barulhinho do mar é a combinação perfeita para um dia de descanso.

Ficamos por ali um tempão, fomos almoçar na segunda praia bem tarde e o dia já estava quase escurecendo.

Andamos mais uma vez pelo centrinho, voltamos para a pousada e já chegava o momento de nos despedirmos desse lugar maravilhoso. Um lugar que conquistou minha admiração pela energia, organização e beleza do local. Superou todas as minhas expectativas. Lindo! Lindo! Lindo!

Mais um lugar que me faz ter esperança para o turismo no Brasil… Hoje já faz um mês que voltamos de lá e a frase que melhor relata meus sentimentos é o nome da mais famosa grife da ilha…

Morro de São Paulo, realmente Morro de Saudades… 🙂 🙂

Anúncios

10 Comentários

Arquivado em Bahia, Brasil, Morro de São Paulo, Nordeste do Brasil

Morro de São Paulo : parte 2

Andando por Morro de São Paulo, você será abordado por muitas pessoas oferecendo os vários passeios que partem da ilha. Como nós tínhamos ido sem essa intenção, apenas agradecíamos a abordagem e seguíamos em frente. Entretanto, a Cibeli e o Garibaldi haviam negociado um passeio até Gamboa por 15 reais por pessoa, enquanto os tiozinhos vendiam o mesmo passeio por 30 reais. Uau!! Super negociação de nossos amigos e essa não podíamos perder.

Acordamos na sexta-feira, tomamos calmamente café da manhã em nossa pousada e por volta das 10 horas seguimos para o ponto de onde partem os passeios da ilha na Terceira Praia. O dia estava ensolarado e delicioso.

Ficamos sentados na praia aguardando nossos parceiros e sendo abordados por muitos vendedores de passeio. Uma coisa que chama a atenção em Morro de São Paulo é que de um jeito ou de outro, a maioria dos nativos tem ocupação e ganham dinheiro com o turismo. Em nossa estadia por lá, não vimos nenhum pedinte. Outro fato que surpreende é a quantidade de gringos que vivem por lá e também que visitam a ilha. Facilmente você escutará várias línguas ao mesmo tempo… e até algumas placas em hebraico encontrará por lá. Morro de São Paulo é multicultural….

Logo pela manhã a maré na terceira praia estava bem baixa e pra ingressar nos barcos era possível ir caminhando pela água rasinha.

Cibeli e Garibaldi chegaram e ficamos aguardando nosso guia nos levar até o barco.

Embarcamos e seguimos para a primeira parada: as piscinas naturais.O barco atracou e descemos para nadar. A água não estava tão quentinha, mas logo acostumamos com a temperatura. O que mais chamava a atenção de lá, era podermos olhar a ilha de outro ângulo… Lindo!

Nossa próxima parada era na praia de Gamboa, famosa por suas falésias e pela argila que lá se forma para a alegria dos turistas.

Segundo nosso guia, a argila de Gamboa tira a celulite das mulheres e a barriguinha de chopp dos homens. Haha com esses argumentos não tivemos como resistir…. Nos lambuzamos bastante com as argilas amarela, rosa e branca. Diversão garantida!

Voltamos para o barco com a argila endurecendo, mas é só entrar na água que ela sai bem fácil.

O próximo destino do barco eram os bancos de areia próximos à Ponta do Curral. Com a maré baixa, lá se formam deliciosas piscinas de água quentinha, quentinha… Uma delícia! Ficamos lá batendo papo sem ver o tempo passar.

Nessas alturas, já eram quase 2 da tarde e estávamos com fome. Sendo assim, fomos para o povoado de Gamboa, onde almoçamos no restaurante do irmão de nosso guia.

De lá, partimos de volta para Morro de São Paulo e no caminho tivemos a sorte de encontrarmos um grupo de golfinhos, para a alegria de muitos turistas.

Já estava quase escurecendo e ao atracarmos no terminal marítimo fomos presenteados com um lindo pôr-do-sol.

Como era o último dia de nossos amigos por lá, fomos novamente no morro da Tirolesa para que eles conhecessem o local. Já estava escurecendo, mas mesmo assim conseguimos umas fotinhos no mirante.

Após um dia intenso de atividades, fomos caminhando até a segunda praia para vermos o que iríamos fazer à noite.

Na Segunda Praia é que se concentram os charmosos restaurantes da ilha, com direito à puffs e sofás na areia, mesinhas lindas e decoradas e algumas até com luz de velas. Muito bom ver essa estrutura por lá!

Conforme você vai andando, vai sendo abordado pelos garçons e proprietários para que conheça o estabelecimento. Muitos gringos por aí ….

Por lá também se forma a Passarela do Álcool, que são inúmeras barraquinhas decoradas com lindas frutas e que vendem coquetéis com ou sem álcool. Eu não resisti e tomei um sem álcool de abacaxi, acerola e morango. Hummm! Uma delícia!

Fomos tomar banho e voltamos para jantar. Comemos uma pizza na companhia de nossos amigos e  esse foi nosso encontro de despedida, visto que eles partiriam no dia seguinte. Demos muitas risadas nesta noite e alguns fatos incontáveis aconteceram… hahaha. A Cibeli pediu para não contar e assim não contarei 🙂

Ao voltarmos para a pousada, fomos presenteados com o mais lindo luar que já vimos na vida. Ficamos bobos e de queixos caídos observando a lua e seu reflexo prata no mar. Estávamos sem a câmera, mas corremos até  pousada para buscá-la. Infelizmente não saíram boas as fotos, mas fica a dica… Estando em Morro, procure pela lua!

Encantados com essa imagem e muito felizes por tudo que estávamos vivendo, fomos dormir. E ainda tínhamos mais um dia no paradise, que delícia 🙂

Deixe um comentário

Arquivado em Bahia, Brasil, Morro de São Paulo, Nordeste do Brasil

Morro de São Paulo: parte 1

Eram quase 11 da manhã e nós já estávamos famintos. O sol resolveu aparecer e aí sim consegui ver a paisagem com céu azul… Vejam a diferença que dá!

Sem céu azul

Com céu azul

Seguimos para a vila para comermos algo antes de iniciar qualquer atividade. Paramos numa lanchonete, comemos e resolvemos ir direto para o morro da Tirolesa, uma das principais atrações de Morro de SP.

Para chegar até lá, é necessário subir mais de 80 degraus em direção ao farol, mas a paisagem compensa todo o esforço.

Quis ir até lá para ver se eu teria coragem de ir na tirolesa e nesse primeiro momento me assustei com os seus 70 m de altura…

O tempo estava bem instável e voltou a garoar. Nós descemos o morro, passamos pelo farol e voltamos para as praias.

No caminho, aproveitamos para tirar uma foto de uma das construções mais antigas de Morro de São Paulo: o Casarão, que foi construído em 1608 e atualmente funciona como pousada.

Fomos dar uma caminhada pelas praias e encontramos nossos amigos Cibeli e Garibaldi, que nos avistaram na Segunda Praia. Conversamos um pouco, e resolvemos dar uma descansada deitados na praia, pois estávamos com o sono bem atrasado. Com a combinação calor, solzinho fraco, música ambiente de primeira qualidade e o barulhinho do mar, dormimos deliciosamente na praia até sermos acordados com a maré subindo e nos molhando subitamente (hahaha, foi muito engraçado!).

Quando olhamos no relógio, já estava na hora de nos encontrarmos novamente com nossos amigos para irmos até a Fortaleza de Morro de São Paulo.

Passamos na pousada deles e seguimos para lá. A trilha que dá acesso fica bem ao lado do terminal marítimo.

A Fortaleza tem uma das melhores vistas para o pôr-do-sol de Morro e também de lá podem ser avistados golfinhos. Como não tinha sol, não vimos nenhuma das duas coisas… Apenas apreciamos a linda paisagem no final do dia.

Voltamos para a vila antes de escurecer, passamos pela igreja e lá encontramos um guia fazendo o city tour (você tem direito a fazê-lo gratuitamente).

Aproveitamos a oportunidade e seguimos com o grupo até o Casarão, para sabermos mais sobre sua história. Visitamos a construção por dentro e vimos lá muitas partes ainda originais de 1608.

De lá seguimos caminhando pelas rua lateral até chegarmos à Fonte Grande ( que por sinal está em péssimo estado de conservação!) que foi o primeiro sistema de abastecimento da ilha.

Voltamos para a praça e fomos conhecer a Pousada da Praça, que tem uma localização perfeita e um preço melhor ainda. Passamos por lá porque a Cibeli conheceu algumas pessoas que ficaram lá  pagaram somente R$50, 00 a diária (sem café da manhã). Eu ficaria por lá com certeza!

Já eram quase 9 da noite quando resolvemos voltar para a pousada. Estávamos cansados, mas felizes por termos tido a oportunidade de estar num lugar tão lindo. Nosso primeiro dia por lá foi excelente, e a noite estava estrelada.. Sinal de sol pro dia seguinte? Confira na parte 2 😉

2 Comentários

Arquivado em Bahia, Brasil, Morro de São Paulo, Nordeste do Brasil

Morro de São Paulo: a aventura de se chegar até lá

Com tanta correria no trabalho, nem vi chegar a data da tão esperada viagem à Morro de São Paulo. Quando vi, já havia chegado o dia… oba!

É claro que o voo atrasou em Guarulhos e o cansaço bateu na espera, mas por outro lado foi bom pois dormi diretaço de São Paulo à Salvador.

No aeroporto de Salvador, à noite, você não tem outra opção para chegar até à orla que não seja o caríssimo táxi. Prepare-se para gastar mais de 80 reais (que absurdo uma cidade do tamanho de Salvador não oferecer sequer um ônibus executivo!!)

Chegamos no B Hotel e nos sentimos em casa com o excelente atendimento do recepcionista. Gostamos muito do hotel, que apesar de simples, é todo reformado, bem cuidado e com preços justos.

Colocamos o despertador para tocar às 5 e 45, visto que a empresa que faria o tour passaria nos pegar às 6 e 30. Ou seja, teríamos apenas 4 horas de sono pela frente…

Tomamos café da manhã no hotel e a empresa passou pontualmente para nos apanhar no horário combinado. Passamos por mais alguns hotéis para pegar os demais passageiros e lá fomos nós para o Terminal Marítimo de Salvador para darmos ínicio à nossa jornada rumo à Morro de São Paulo.

O primeiro trajeto foi a travessia de barco de Salvador até a ilha de Itaparica, com duração de 35 minutos. Descrição da barca? Festa estranha com gente esquisita.. hahaha

Mas foi rápido e senti apenas um enjoo bem de leve (nessa parte já tive certeza de ter feito a melhor escolha de transfer, rsrs)

Chegando no terminal, seguimos numa van até o atracadouro de Valença numa viagem de 1 hora e 20 minutos. Nesse momento, a primeira surpresa com um guia argentino. Achei bem estranho ouvir o perfeito português dele com leve sotaque espanhol, em pleno nordeste brasileiro.

Cansada como estava, dormi durante quase todo o trajeto. Ao chegarmos em Valença, uma leve chuva caía e o ventinho fresco soprava no atracadouro. Ainda bem que estava com um super casaco em mãos que me protegeu enquanto aguardávamos a lancha rápida. Para usar o atracadouro passageiros devem pagar uma tarifa de R$ 0,62.

O último trecho do transfer é feito com uma lancha rápida que leva 12 minutos para chegar à Morro. Durante a travessia o tempo piorou e eu nem vi nada, pois me escondi debaixo do casaco para me proteger.

Nessa última parte, nada de enjoo. Portanto, cheguei à Morro de São Paulo felicíssima por não ter passado mal e nem sofrido com a viagem. Apesar do tempo ruim, agora era só curtir o delicioso feriado em terras baianas.

Logo no desembarque, você pessoas chegando com malas enormes. Eu só pensei: aiaiai, como eles vão carregar? O ideal é levar apenas mochilas, primeiro porque você vai precisar somente de roupas leves e depois porque a ilha é um sobe e desce danado… Quem optar por levar malas, contará com o serviço dos carregadores, que estão aos montes logo no terminal de entrada.

Cobram 3 reais por mala, na média. Quem estiver com criança, conta com o serviço de táxi para subir a ladeira.

Pagamos a taxa de turismo de R$12, 00 por pessoa e seguimos em busca de nossa pousada.

Nós fomos prevenidos e não precisamos do serviço. Subimos a ladeira inicial com as mochilas nas costas.

Assim que você chega, já encara a primeira subidona que te levará à Praça de Morro.

E logo ali você percebe que chega à um lugar totalmente diferente de tudo que você já viu. Não sei explicar direito, mas já nos primeiros passos disse pro Loedi: Morro de São Paulo é muito mais que eu imaginava (e olha que nem o mar eu tinha visto ainda…)

Quem vive no sul, tem trauma de pegar chuva na praia pois por aqui quando a danada começa é difícil de parar. Eu estava com esse pensamento e bem chateada de estar pegando tempo feio em pleno feriadinho no nordeste. Mas, esperançosa….

Ao descermos para a segunda praia, veio o primeiro momento “Uau!” que é quando você vê do alto a paisagem perfeita daquele lugar. Não tive como dizer: que lugar é esse! Mesmo com céu nublado, o lugar era lindo. Fiquei imaginando como seria com o céu azul….

Seguimos caminhando seguindo o fluxo e paramos para perguntar como chegávamos à nossa pousada. Um tiozinho já nos deu as coordenadas e assim achamos facilmente a Pousada Borboleta.

Fizemos o checkin, deixamos as coisas no quarto e lá fomos nós começar a curtição do feriado. Confira como foi nossa aventura nos próximos posts 😉

10 Comentários

Arquivado em Brasil, Morro de São Paulo, Nordeste do Brasil

Morro de São Paulo: planejamento

Desde a primeira vez que ouvi falar de Morro de São Paulo, na Bahia, tive vontade de ir pra lá. Porém toda vez que pesquisava sobre como chegar achava difícil de fazer a viagem em feriados e desistia. Mas, felizmente, esse ano conseguimos encaixar este roteiro em uma data com passagens em conta e daqui a 4 dias estaremos lá!

Como chegar ? O ponto de partida da viagem à Morro é Salvador e de lá você tem 3 opções:

1) Ir de barco: do Terminal Marítimo, que fica em frente ao Mercado Modelo, em Salvador, partem diariamente Catamarãs e Lanchas que fazem o trajeto Salvador/ Morro de São Paulo. Essa é a opção mais barata, mas como eu passo muito mal em barcos, preferi não arriscar. Li relatos de pessoas que pegaram mar calmo e não tiveram problemas com enjoos e outras que viveram um verdadeiro pesadelo em alto-mar. Eu prefiro não passar por essa loteria, rsrrs.

2) Avião: a mais cômoda e mais cara. A ida e a volta saem por quase 1000 reais por pessoa. Seu eu tivesse grana, essa seria minha escolha 🙂

3) Terra+mar: a opção que escolhemos pois o trajeto misto garante menos tempo em barco. É a opção mais demorada, leva no total 3 horas e o preço é similar ao de barco. Compramos esse transfer com a Zulu Turismo, tudo via internet.

Um site muito bom para auxiliar do planejamento é este.

Vamos chegar à noite em Salvador e dormiremos lá no B Hotel, por ficar na orla que é o trajeto que o transfer faz.

Logo pela manhã sairemos rumo à Morro de São Paulo e devemos chegar lá por volta de meio-dia.

Hospedagem em Morro: como vamos em baixa temporada, conseguimos reservar a Pousada Borboleta por R$80,00 a diária. Dica da Cibeli, leitora do blog que se tornou minha amiga,  que também estará lá nessa data 🙂

O que espero de Morro de São Paulo? Pelo que já li e pesquisei, acho que a ilha será mais ou menos no mesmo esquema de Los Roques, um ambiente rústico, simples e cheio de belezas naturais.  Quero, mais uma vez, descansar, descansar e descansar…  Estamos indo somente com esse plano!

Conto como foi mais essa aventura em breve, aqui no Próximos Destinos!

13 Comentários

Arquivado em Bahia, Brasil, Morro de São Paulo, Nordeste do Brasil