Arquivo da categoria: Luxemburgo

Luxemburgo: parte 2

Começamos nosso roteiro pela Avenue de la Liberté, apreciando as praças e belas construções da cidade.

DSC01005 DSC01007

Seguindo pela avenida, aparece o imponente prédio do National Savings Bank  de Luxemburgo.

DSC07080

DSC06890

Logo nos primeiros passos, nos apaixonamos pela organização e beleza de Luxemburgo. A paisagem de outono é fascinante e posso reafirmar que para mim é quando a Europa fica mais bonita. Os tons amarelos e vermelhos das árvores são hipnotizantes!

Um pouco mais à frente, atravessamos a ponte Adolphe, a mais famosa da cidade. Lá de cima, uma vista digna de uau sobre o vale. Mais uma vez, pontos para o outono!!!!

DSC06899

Tiramos muitas fotos com folhas, árvores e a ponte e depois fomos procurar o caminho que levava à praça da Constituição.

DSC06907 DSC06910

Quando achamos, fomos diretos para lá de onde se vê a paisagem de outro ângulo.

DSC06916 DSC06919

O frio estava intenso, mas nada que atrapalhasse nosso passeio. Seguindo o mapa, fomos para o centro, onde encontramos ruas bem ajeitadinhas e com poucas pessoas passando por elas na segunda-feira de manhã.

DSC06938 DSC06939

Estávamos estranhando a calmaria na cidade, numa segunda-feira de manhã e no país com maior renda per capita do mundo. Demoramos para encontrar uma cafeteria aberta e quando achamos perguntei pra moça se era feriado. Ela sorriu e me disse: hoje é segunda-feira, e na segunda as pessoas começam a trabalhar mais tarde. Eeeee, beleza!!!!

E já que estávamos por ali, fomos visitar um dos cartões postais da cidade, o Grand Palais Ducal, que é a residência oficial do grão-duque de Luxemburgo. Um impressionante prédio, mas difícil de ser fotografado na íntegra.

DSC06964 DSC06965

Após um cafezinho, fomos passear pela Grand Rue, que é um calçadão cheio de lojas para todos os bolsos. Aos poucos, começávamos a ver algumas pessoas por lá.

DSC06976 DSC06977

O próximo lugar que estava anotado para visitarmos era a cidade baixa, ou o Grund, como é conhecido por lá. Como a cidade é muito bem sinalizada, foi fácil acharmos o caminho. Procure por essas plaquinhas e seja feliz 🙂

DSC06992

É lá no Grund que você terá as fotos bucólicas com casinhas, belas muralhas e o riozinho ao fundo. Um lugar que te faz querer tirar fotos e mais fotos.

DSC06996DSC07021

Além da beleza, o local tem toda uma história, contada em plaquinhas espalhadas pelo caminho. As muralhas são imensas e você mais uma vez vai pensar no tempo que tudo isso levou para ser feito anos e anos atrás. Mesmo cansados, fizemos questão de percorrer o caminho até lá em cima e de lá observar a imensidão de tudo.

DSC07030 DSC07034 DSC07045 DSC07050 DSC07057 DSC07058

Já era hora do almoço e voltamos para a Grand Rue em busca de algo. Almoçamos numa lanchonete e demos conta de que já tínhamos visto quase tudo que a cidade tem de mais turístico. Faltava apenas a Estação Central, que só tínhamos visto à noite.

DSC07089

Voltamos caminhando para lá, com direito à algumas paradas em lojinhas de souvenirs. Chegamos na estação, tiramos umas fotos e fomos bater perna pra passar o resto do tempo que tínhamos antes de escurecer.

Nesse meio tempo, o sol apareceu e eu quis voltar na ponte para ter uma foto com “efeito céu azul” em Luxemburgo.

DSC07094 DSC07095

O dia já está escurecendo e chegava nosso horário de partir. Voltamos ao hotel, pegamos nossas malas e fomos para a Estação Central onde pegaríamos o trem rumo à Paris.

Luxemburgo foi uma excelente surpresa! Definiria a cidade, na minha percepção, como uma mistura entre a Suíça e a Bélgica, com um leve toque de Alemanha, hahaha (que boa mistura!).Recomendo uma passada por lá para quem está montando um tour pela Europa. Um dia é mais que suficiente e te permite desfrutar a cidade com calma.

Que bom que inclui este país “desconhecido” em nosso roteiro! Valeu muito a pena 🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Europa, Luxemburgo

Luxemburgo: parte 1

Nosso voo de Lisboa à Luxemburgo foi com a Portugalia, a empresa regional da TAP. O voo foi tranquilo e com ótimo serviço de bordo. Devido à diferença de fuso, chegamos por volta de 17 horas e já era noite.

A temperatura quando chegamos era de 8 graus, bem menos do que tínhamos pego em Lisboa. Para chegarmos até o centro da cidade, pegamos o ônibus número 16 e descemos na estação central.

Hummm, muitos devem estar pensando? Onde fica Luxemburgo? Que língua se fala lá? Talvez muitos nunca ouviram falar sobre esse país, portanto vou fazer uma breve apresentação.

Luxemburgo é um país bem pequeno e faz fronteira com Bélgica, Alemanha e França.

Luxemburgo

Tem como língua oficial o francês, o alemão e o luxemburguês. Dentre as 3, a que mais ouvimos e vimos por lá foi o francês. Mas é super interessante você entrar num Mc Donald’s e , de repente, estar tudo escrito em alemão.

O país, que tem a capital como o mesmo nome, destaca-se na Europa por ter uma das maiores rendas per capita do mundo e também um dos maiores índices de desenvolvimento humano. A moeda por lá também é o euro. Essas eram as principais informações que tínhamos sobre Luxemburgo.

Já no caminho, pudemos observar as lindas paisagens que nos aguardavam no dia seguinte. Minha mãe e minha sogra finalmente estavam vendo a Europa do jeito que deviam ter imaginado antes de viajar.

Tínhamos um mapa em mãos e achamos que seria super tranquilo chegar até o hotel, visto que a rua era bem ao lado da estação. Andamos um pouco, encontramos a rua de nosso endereço, porém a numeração estava muito alta. Caminhamos mais algumas quadras e quando fomos analisar mais detalhadamente o mapa, notamos que a rua era em círculo e que obviamente tínhamos ido para o lado errado. Ok, ok, andar arrastando mala é uma delícia mesmo……

Estudamos o trajeto e começamos o caminho de volta. Devido à situação, nem estávamos nos incomodando mais com o frio e com a leve garoa que vira e mexe aparecia. Após alguns minutos de caminhada, finalmente chegamos ao hotel Le Chatelet.

DSC01177

Como na maioria dos hotéis da Europa, o checkin foi muito rápido e logo fomos acomodados. Hotel simples e limpinho, do jeito que a gente gosta.

DSC00987

Com bastante fome, fomos jantar na pizzaria Bella Italia, que era bem próxima ao hotel. Nesse primeiro contato com a cidade, foi notável a forte presença de portugueses por lá. Todos os garçons que nos atenderam eram da terrinha. Voltamos, fiz o estudo do roteiro para o próximo dia e logo fomos dormir.

image

De todo nosso roteiro, esse era o único hotel com café da manhã. E para nossa surpresa, um café bem acima dos padrões europeus. Já fizemos o checkout, deixamos nossas malas no hotel e fomos desbravar Luxemburgo City.

Em pesquisas antes de viajar, achei pouca coisa sobre esse pequeno país. As dicas que levei achei no blog da Dri Miller e no “Alemanha, por que não”  Também não acho que este país seja tão conhecido pelos brasileiros. Por que escolhi ir pra lá? Porque adoro esses lugares que não são tão famosos, ainda mais um lugar que dá pra conhecer em um dia.

Pelo que li e pesquisei, a cidade poderia ser facilmente explorada a pé e essa foi nossa opção. Bem agasalhados, partimos rumo ao day tour – assunto do próximo post.

3 Comentários

Arquivado em Luxemburgo