Arquivo da tag: viajar com bebê

Barbados: Paynes Bay

Quando você começa a planejar sua viagem para Barbados, descobre que além da ilha ter 60 praias, dependendo do lado que você for terá um tipo de praia. A costa Oeste e sul são banhadas pelo mar do Caribe e têm praias mais calmas. As costas leste e norte são banhada pelo oceano Atlântico e têm praias com mar agitado. Desde que descobri isso já tinha certeza de que nossos passeios se concentrariam no lado de mar tranquilo, que é o tipo de praia que gosto. Aí vem o segundo desafio: dentre as inúmeras praias, qual escolher? Você olha no mapa e vê uma encostadinha da outra. Você pesquisa na internet e vê uma praia mais linda que a outra. Aiaiai que dúvida cruel! Diante deste dilema, resolvemos escolher Paynes Bay porque lemos relatos de que era fácil estacionar por lá e desta praia  partem passeios para nadar com as tartarugas – o que eu mais queria fazer na viagem 🙂

Realmente estacionar é muito fácil! Tem um estacionamento grátis próximo à um posto Esso, localizado à uma quadra da praia e cheio de sombra de árvores. Até estranhamos ser grátis, mas fui conversar com umas pessoas que estavam por ali e elas me confirmaram com a maior simpatia do mundo. Ao atravessar a rua, a educação dos bajan no trânsito foi padrão Europa! O pedestre é super respeitado por lá. Andamos um pouquinho e logo encontramos a entrada da praia. Ao se deparar com aquele mar azul-piscina, sem ondas e a areia ainda vazia, pensei: isso é Barbados!

DSC08119IMG_5772IMG_5785

Minha mãe e minha sogra nunca tinham visto um mar dessa cor, e foi bem bacana poder proporcionar essa experiência a elas. Agora escolhendo as fotos para o post tenho a impressão de que ao vivo a água era mais azul ainda…. Logo que fomos procurar uma sombra para nos instalarmos, um simpático (mais um, hehe) rapaz nos abordou oferecendo o passeio para nadar com as tartarugas por U$20,00. Na hora já pensei que esse seria o dia de realizar mais uma experiência que sonhava há tempos.

Montamos nossas coisas numa sombra quase no final da praia e por ali ficamos curtindo a paz e o visual do local. Pensei que se só tivesse essa praia em Barbados, já valeria a pena. Um lugar do jeitinho que eu gosto, com mar piscininha, água quentinha e sem agito nenhum. Paynes Bay tem um visual de tirar o fôlego!

IMG_5804 IMG_5807 IMG_5816 IMG_5830 IMG_5840

Depois de um tempinho na areia, fomos procurar o rapaz do passeio para realizar meu sonho de nadar com as tartarugas, viva!!! O passeio começa parando próximo à um barco naufragado que é ponto de snorkel e no caminho até lá fomos falando mil vezes uau, uau, uau: que mar é esse????

DSC08122 DSC08126 DSC08127 DSC08137 DSC08145 DSC08152

Mesmo que não tivessem as tartarugas, o passeio de barco já valeria a pena pelos 50 tons de azul que você tem a chance de contemplar. O naufrágio nem é tão legal para snorkel, pois só vi peixinhos simples, daqueles que vemos em muitas praias no nordeste. Ficamos pouco tempo lá, pois mal podíamos esperar para ver as grandes estrelas do mar de Barbados.

Finalmente chegamos ao point das tartarugas e eu parecia uma criança querendo descer logo para encontrá-las. Entramos na água, nadamos um pouco e tcharammmmm! Lá estavam elas! Lindas e grandes tartarugas nem um pouco tímidas com a presença das pessoas. Elas chegam muito pertinho e algumas vezes até me assustei de tão perto que elas chegam. Momento mágico, lindo e emocionante! Uma experiência que não tem preço 🙂 Pena que não temos fotos, mas foi demais. Para registrar o momento, apenas algumas fotografias que tiramos do barco. Ache a tartaruga na fotos abaixo, hehe

DSC08167 DSC08168

Encantados com os momentos que vivemos, voltamos para a areia para brincar com nossa fofucha que estava tagarelando com as vovós feliz da vida! Curtimos mais algumas horas por ali antes de ajeitar nossas coisas para irmos embora.

IMG_5854 IMG_5857

Acho que escreverei isso em todos os posts sobre Barbados, mas estando por lá, não deixe de conhecer essa praia: Paynes Bay, um dos lugares mais lindos que já estive no Caribe.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Barbados, Caribe, Viajando com bebês (1 ano)

Barbados – primeiro dia

Uma das coisas mais legais de conhecer lugares novos é a deliciosa sensação de ter que aprender como as coisas funcionam por lá, sejam coisas simples como saber como são pesados os legumes no supermercado até itens mais complexos como o comportamento dos motoristas no trânsito. Antes da viagem, eu pesquiso bastante sim sobre isso, porém a prova real vem mesmo é no primeiro dia, quando você começa ver ao vivo aquilo que até então era teoria. Outro ponto que me deixa curiosa ao começar a desbravar o destino é saber da sua história, pois tudo que vemos acontecer está relacionado à isso. Como o Loedi é mais interessado nessa parte, ele lê tudo que encontra e vai me contando. E assim vamos construindo nossa percepção de cada lugar que visitamos.

Comentei no post anterior sobre nossa percepção inicial sobre a simpatia do povo “bajan”, adjetivo que eles usam quando se referem à tudo que é de Barbados. Um outro fato que notei é que as pessoas são bem altas! E sair dirigindo em mão inglesa em nosso primeiro dia de passeio por lá nos trouxe uma série de outras boas impressões.

Para o domingo, escolhemos ir numa praia próxima para descansar e não ficar muito tempo no carro. Como ainda não conhecíamos o jeitão da ilha, é claro que não conseguimos achar o lugar que queríamos, mesmo usando o super Google Maps offline (viva a tecnologia!) Por outro lado, encontramos uma praia super sossegada na frente de um resort, onde achamos uma sombra deliciosa para montar acampamento.

DSC08090 DSC08092

O mar não era piscininha do jeito que gosto, mas por conta da sombra e de termos bastante tempo ainda para explorar as praias da ilha, decidimos ficar ali mesmo e aproveitar a calma do local. O que mais amo nas praias do Caribe é que mesmo sendo altíssima temporada, você se sente como se fosse uma segunda-feira qualquer, de tanta tranquilidade na areia. Ficamos ali curtindo o delicioso calor, o sol e observando as várias cores do mar caribenho.

DSC08096 DSC08100

Enquanto isso, Camilinha se divertia muito na areia e com a água em sua piscininha. E quando não aguentou mais, não resistiu à uma relaxante sonequinha com a brisa de Barbados. Nós aproveitamos e também tiramos um cochilo, e eu fui acordada por uma moça que me disse que eu não poderia deixar de registrar a filhinha e o papai dormindo do mesmo jeitinho. É claro que eu segui a recomendação da moça 🙂

DSC08110 IMG_5733 IMG_5735

Nesse tempo, minha mãe, minha sogra e eu fomos caminhar e curtir a paisagem. Para quem já conhecia a vibe do Caribe, essa praia em que estávamos nem era nada demais. Porém, para as duas era a primeira vez numa praia fora do país e elas estavam encantadas com tudo. Andamos um monte aproveitando o visual e tirando muitas fotos.

IMG_5724 IMG_5758 IMG_5762 IMG_5737 IMG_5738

Fazia muito calor, porém o vento em Barbados é muito forte e constante, o que ameniza bastante a sensação térmica. Não se assuste se estiver planejando viajar para lá e ver o símbolo da foto abaixo na previsão do tempo. Durante nossa estadia toda apareceu esse ícone e mesmo assim tivemos sol e tempo bom todos os dias.

IMG_6394

Ainda assustados com os preços do dia anterior, resolvemos ir até uma loja de conveniência bem pertinho da praia para comprarmos algo para comer. Que delícia andar pelas ruas com um povo que faz questão de sorrir pra você e te cumprimentar. Que delícia estar no Caribe com cara de Caribe 🙂 Tudo o que tínhamos lido sobre a simpatia dos moradores se concretizava a cada passo nosso.

IMG_5722

Compramos apenas algumas bebidas, petiscos e biscoitos como almoço e ainda assim gastamos muito! Voltamos para a praia com nossa sacolinha de muitos dólares e mais uma vez focamos na frase mestre de quem converte não se diverte.

IMG_5723

Ficamos mais um tempo por lá, descansando e cumprindo nosso próposito do dia: relaxar após um dia inteiro de viagem no sábado. Voltamos para nosso sobrado, fomos ao mercado e por lá jantamos.

IMG_5766

Como não queríamos mexer na rotininha da Camila, continuamos seguindo o horário do Brasil nessa semana e assim dormíamos e acordávamos bem cedo. Assim, por volta das 19h de Barbados já estávamos nos preparando para dormir. Realmente foi uma semana focada no doce prazer de não fazer nada.

Para o próximo dia escolhemos bem a praia em que íamos passar o dia e pesquisamos bem certinho como chegar. O destino foi Paynes Bay que será o assunto do próximo post.

Deixe um comentário

Arquivado em Barbados, Caribe

Chegando em Barbados

Muitas vezes quando me empolgo para comprar as passagens das nossas viagens, acabo não ligando para o horário de partida e foco mais no menor preço. Porém, depois que a Camila nasceu começamos a pensar mais nisso, para não ter que tirá-la da cama tão cedo. Mas, nesse planejamento de Barbados acabamos comendo bola e compramos um voo que saía de Curitiba 6:30h da manhã, ou seja, 5:30h teríamos que estar no aeroporto e para isso deveríamos sair de casa antes das 5 da manhã. Para nossa sorte e alegria, Camila acordou muito bem humorada e toda feliz de passear de avião. Foi de casa ao aeroporto toda empolgada com a ideia de viajar (ufa!)

Outra coisa que aconteceu na compra de nossas passagens é que a Classe Comfort, da Gol, estava com preço melhor que a passagem normal e assim compramos as nossas nessa classe que além de ter o assento do meio bloqueado (excelente para o tamanho que a Camila está), tem refeições diferenciadas e acesso à sala Vip de Guarulhos. Como tínhamos que aguardar mais que 3 horas em São Paulo, esse benefício foi excelente para nós.

A sala fica na área internacional da Gol, que fica no Terminal 2 e dá direito à um acompanhante. Sendo assim, pudemos aguardar com todo o conforto o nosso embarque. Além de ser muito espaçosa, há várias bebidas e snacks à vontade. Nossa viagem já começou muito bem e Camilinha aproveitou para descansar após ter acordado tão cedo.

IMG_5705[1] IMG_5706[1]IMG_5703[1]

No horário estimado, embarcamos e ao entrar no avião e poder deixar a Camila em seu assento próprio tivemos certeza de que será ruim começar a pagar passagem para ela quando completar 2 anos, contudo por outro lado teremos muito mais conforto em nossas viagens.

IMG_5711[1]

O voo para Barbados não estava lotado, mesmo sendo alta temporada. Acredito que esse destino ainda seja desconhecido de muitos brasileiros, como escrevi no post de planejamento. Dentre os benefícios oferecidos pela classe Comfort da Gol, apenas uma refeição mais completa (com salada e alguns acompanhamentos) e sanduíche quente ao invés de frio. Para nós, o que realmente valeu a pena foi o espaço extra e a sala Vip. Camila se comportou muito bem no voo e as quase 6 horas de viagem foram bem tranquilas.

Apesar de ter tido atraso na decolagem, chegamos em Barbados no horário estimado e logo de cara achamos o povo extremamente simpático. A fila da imigração era imensa e num primeiro momento a moça deixou apenas o Loedi e a Camila irem para a fila de prioridade. Depois que ela viu que a situação não estava fácil (a baixinha doida pra correr no aeroporto e o Loedi se virando nos trinta), ela nos chamou e autorizou que todos nós fôssemos atendidos com prioridade.

A imigração nos fez algumas perguntas, e pela primeira vez em nossa história de viajantes nos pediram a carteirinha de vacinação internacional da febre amarela. Passando por lá, logo chegamos ao guichê da locadora de carros Stoutes, mas que alugamos via site Economy Rentals e fomos muito bem atendidos. O atendimento foi muito rápido,  com padrão EUA de agilidade. Logo nesses primeiros momentos já estava com uma excelente impressão de Barbados.

Foi bem engraçado a tensão do Loedi ao dirigir pela primeira vez em mão inglesa, mas ele tirou de letra 🙂

IMG_5713[1]

Como nosso sobrado ficava bem pertinho do aeroporto, em menos de 5 minutos estávamos lá e fomos gentilmente recebidos pela moça responsável pela entrega das chaves. A Camila achou o máximo ter um monte de espaço pra correr, pedrinhas para jogar, escadas para escalar. Dentre nós todos, ela é que estava menos cansada e doidinha para aproveitar o lugar novo.

IMG_6304[1] IMG_6305[1] DSC08115 DSC08195

Corremos ao mercado, que ficava há 3 minutos de lá, fizemos as primeiras compras e já ficamos chocados com os preços!!!!! Socorro!!! Tudo muito caro não só pela cotação do dólar, mas também por grande parte dos itens serem importados. Levamos dólares americanos, que são aceitos como se fosse moeda local (1 dólar americano = 2 dólares de Barbados). Para terem ideia de preço, 1 litro de leite = 8 dólares de Barbados = 4 dólares americanos = 16 reais, huahauhauahua. Mas, como disse o Loedi, já que estávamos na chuva era pra se molhar, e assim tentamos ser o mais econômicos possíveis em nossa estadia, mas sem estragar as nossas merecidas férias. Povo simpático e acolhedor, calor delicioso e preços nas alturas, essas foram nossas primeiras impressões de Barbados. Nos próximos posts conto mais. Até!

5 Comentários

Arquivado em Barbados, Caribe

Dicas para viajar com bebês de 1 ano

É divertido pensar como cada fase do bebê requer um tipo de planejamento diferente, pois eles evoluem e mudam muito rápido. Já escrevi sobre dicas de viagem antes das papinhas e após as papinhas (confira aqui) e agora me aventuro a dar dicas para a partir de 1 ano, quando já caminham, continuam nas papinhas, têm muita energia para gastar e no caso da Camila, já falava bastante coisa.

Antes de embarcar:

Essa foi a nossa terceira viagem internacional em família, e com isso já tinha experiência em arrumar a mala. Mantive as dicas que citei no post anterior, montando kits de roupinhas e embalando em saquinhos para facilitar a vida ao chegar ao destino. Como criança suja muita roupa, levamos mais de 1 kit por dia, mas já fomos imaginando que usaríamos lavanderia nos Estados Unidos para não precisar levar tanta coisa.

IMG_4290 IMG_4291

E para não esquecer de nada, uns dias antes da viagem já vamos seguindo a rotina e anotando numa lista tudo que é imprescindível levarmos, principalmente na mochila de mão. Isso ajuda muito e nos dá mais tranquilidade para encarar o voo. Após a chegada não tem tanto stress, pois existem bebês em qualquer lugar do mundo e caso esqueça algo, é possível comprar.

IMG_4279

Voos: 

Nesta última viagem, pudemos reforçar a praticidade do voo noturno e também experimentar o voo diurno que tanto temia. Como tudo nessa vida, há prós e contras em ambos, e relatarei aqui o que achei vantajoso em cada uma das opções,

Curitiba- Los Angeles (12h de viagem) em voo noturno:

  • Vantagens: Camila é super regrada em relação aos horários, e como a partida do voo coincidiu com a sua rotina, ela dormiu antes mesmo de decolar e embalou um longo período de sono contínuo. Das 12 horas de voo, ela dormiu pelo menos 7 horas, o que nos garantiu uma viagem super tranquila.
  • Desvantagens: eu ainda não desenvolvi técnica boa o suficiente para dormir no voo de ida, principalmente com a Camila junto. E o que acho pior, é o pensamento de “ter que dormir por ser noite”, que me pressiona mais ainda. Neste caso, a desvantagem é para mim, e não pra ela, mas fica o registro.

Miami – Curitiba (8 horas de viagem) em voo diurno:

  • Vantagens: justamente o oposto da opção anterior. Por ser dia, brincar e distrair a criança já é algo que você estaria fazendo estando ou não no avião. É claro que o arsenal de entretenimento deve ser grande para garantir a distração por bastante tempo, mas não ter a pressão psicológica de ter que dormir foi maravilhoso pra mim. Um outro ponto que gostei foi chegar aqui em Curitiba 7 da noite e poder fazer todo o ritual do soninho com calma e tranquilidade.
  • Desvantagens: haja paciência para dar uma voltinha no avião, desenhar mil vezes os bichinhos favoritos, ler uns 5 livrinhos umas 10 vezes, dar bolachinha e quando você vê o tempo de viagem não reduziu nem 10 minutos em relação à última vez que você checou, rsrsr. Aí chega a hora de apelar ao santo tablet e à maravilhosa Galinha Pintadinha.

Após essa experiência, já não faço tanta questão de voo noturno com a Camila, pois perdi meu medo e receio do voo diurno. Qualquer que seja sua escolha, compartilho algumas dicas que te ajudarão no voo seja ele durante o dia ou a noite:

  • pague mais pelo assento conforto: eis aqui algo que não consigo imaginar ficar sem numa viagem longa com bebê de 1 ano. O espaço adicional vale cada centavo, pois além de dar um pequeno local para a criança se mexer, você pode fazer um mini-acampamento e deixar fácil as mamadeiras, copo de água, fraldinha de boca e outras tralhinhas nos bolsões da frente. Além disso não precisa incomodar ninguém quando precisar ir ao banheiro.

IMG_4299

  • leve um kit caprichado de brinquedos: esse item é obrigatório para a tranquilidade da criança por alguns minutos. Escolhi os livrinhos que ela mais gostava, alguns chocalhos que não faziam barulho e comprei alguns giz de cera e canetinhas para desenhar. Não confiei em ficar apenas no tablet, que é item essencial, pois queria ter opções para variar os estímulos. Tivemos sorte de pegar um voo vazio na volta, e assim colocá-la para assistir desenho foi bem mais fácil 🙂

9fe651cbd30b05f7acfc14b110e27da2

  • leve comidinhas extras para imprevistos: além de levar as refeições já habituais do bebê, recomendo levar doses extras de leite e de papinhas para se garantir em caso de atrasos ou outros imprevistos. Biscoitinhos também são excelentes para distração, se seu filho já comer esse tipo de alimento. Levamos tantas coisas que a agente de aeroporto de Miami até brincou dizendo que a Camila deveria ser comilona, por conta do tanto de potes de papinha que colocamos na mochila para o voo de volta. Prefiro pecar pelo excesso que pela falta, hehe.
  • leve um travesseiro: esse item foi fundamental para o conforto da Camila durante seu soninho. Com 1 ano, ela já não cabe muito bem no colo e até se incomoda de ficar nessa posição. O travesseiro é super trambolho pra levar, mas vale a pena!

IMG_4751

  • leve várias trocas de roupa para o bebê: essa dica é a mais óbvia de todas, mas não podia deixar de listar pois no voo para Los Angeles a fralda vazou antes mesmo da decolagem, hahaha. Não custa lembrar.

IMG_4298

Além dos voos longos, nessa viagem fizemos trechos mais curtos, como Los Angeles-Cancún e Cancún-Miami, mas as dicas também foram válidas nesses trechinhos.

Hospedagem:

Como item essencial de planejamento de viagem com bebê, já citei em outros posts a importância de checar com o hotel a disponibilidade do berço. Em nossas reservas deu tudo certo e Camila se adaptou muito bem aos 3 berços em que dormiu durante nossas férias.

IMG_4749

Alimentação:

Faço questão da alimentação saudável e com isso, optamos por hotéis com cozinha para que pudéssemos cozinhar e levar as comidinhas para os passeios. Dá trabalho sim chegar no hotel após um dia intenso e preparar os papás, mas a sensação de estar fazendo o melhor por seu bebê vale a pena.

IMG_4641

O esquema era cozinhar de noite e já deixar o almoço pronto para levar no outro dia. Pela manhã, antes de sair para os passeios preparava o kit com:  fruta da manhã+ almoço + água para a mamadeira da tarde + fruta da tarde + água + suco. Relembro mais uma vez o quanto amo meus potes térmicos para armazenar as refeições.

IMG_4336

E assim, com rotina e organização fica muito fácil viajar com bebês. Como sempre digo, exige mais planejamento, mas é uma delícia.

Com 1 ano e 1 mês, foi lindo ver a Camila repetir palavrinhas em inglês e espanhol, interagir com as pessoas, correr, brincar e se divertir muito. E por falar nisso, acredito que essa tenha sido a novidade em relação às viagens anteriores: a necessidade de correr e brincar.

Programamos em todos nossos passeios um tempo para ela se divertir fora do carrinho (que continua sendo item fundamental para a viagem), fosse numa praça qualquer, ou no corredor de alguma loja. Víamos na carinha dela a felicidade ao desbravar novos ambientes e essa acaba sendo uma dica bem importante nessa fase: reserve um tempinho na agenda para o bebê brincar. Adorei frequentar os lindos playgrounds de Anaheim!

IMG_4619 IMG_4621 IMG_4693

No mais, afirmo novamente que é muito bom viajar com bebês e que se você respeitar a rotininha de comer, brincar e ter um lugar confortável para dormir, você curtirá muito todos os passeios.

Essas são as dicas que estão funcionando pra gente e espero que ajude novas famílias de viajantes com bebês. Caso tenha alguma dúvida, é só comentar que eu conto nossas experiências! Até mais 🙂

5 Comentários

Arquivado em Viajando com bebês (1 ano)

Isla Mujeres (com direito à perrengue)

Em nossa busca por praias sem algas, resolvemos ir até Cancún e pegar o ferry que faz a travessia para Isla Mujeres. Optamos pelo Puerto Juarez, onde há estacionamento coberto e uma excelente infraestrutura para o embarque.

IMG_4882 IMG_4883

Nosso humilde plano era caminhar até Playa del Norte, que tem mar piscininha, montar nossas cadeiras e guarda-sol e assim curtir mais um delicioso dia no México. Os ferries partem de meia em meia hora . Sendo assim, aguardamos alguns minutos na fila com toda nossa tralha e logo embarcamos.

IMG_4885 IMG_4888

O ferry é super confortável, com delicioso ar condicionado e além de tudo tem uma vista maravilhosa do mar de Cancún.

IMG_4891 IMG_4904 IMG_4905

A viagem é bem rápida e ao desembarcar você dá de cara com um monte de lojinhas, vendedores de passeios e bugigangas. Como nossa meta era ficar apenas num lugar, iniciamos nossa caminhada num calor infernal! Eis que aqui se iniciava mais um perrengue de viagem, rsrsrs.

Imagine a gente com isopor+cadeira+guarda-sol+mochila e mais a Camila pra carregar num sol escaldante!!! Sim, sim, foi ideia de jerico, mas nós não tínhamos nos tocado que faria tanto calor na ilha.

Após uns 15 minutos de caminhada, com algumas pausas para recuperar o fôlego, finalmente encontramos a praia linda e sossegada que buscávamos.

IMG_4909 IMG_4910 IMG_4914 IMG_4919

Loedi se encarregou de montar nossa estrutura, enquanto eu aguardava na sombra com a Camila e logo já estávamos instalados 🙂

IMG_4911

Porém, minutos após nos sentarmos, a Camila começou a chorar deseperadamente (algo raro de acontecer) . Num primeiro momento, pensamos que era fome e logo fomos servir seu almoço. Ela não quis comer (fato raro 2) e berrava. Nem na piscininha ela queria ficar. Tentamos de tudo para acalmá-la, porém logo chegamos à conclusão de que o calor estava judiando dela, pois realmente estava muitooo quente.

Não pensamos duas vezes para retirar nosso kit da praia e correr em busca de um chuveiro para dar um banho nela e ver se acalmava. Assim iam por água abaixo nossos planos de curtir aquele mar piscininha ali da frente 😦

IMG_4916

Corri em busca de um chuveiro e no caminho comecei a ver placas informativas sobre os riscos do calor extremo da ilha. Há alertas por todos os lados e logo tivemos certeza que o incômodo da baixinha tinha grandes chances de estar relacionado às altas temperaturas. Felizmente encontramos uma ducha numa lojinha de aluguel de carrinho de golfe, em um lugar super precário e só com água gelada, mas era o que tinha.

Essa foi a hora do superpapai ter coragem de colocar a menina aos berros debaixo do chuveiro, ouví-la berrar mais ainda por conta da água gelada e a mamãe nervosa só ficar lá no canto ajeitando as coisas e torcendo para que tudo desse certo.

Para nossa alegria, assim que saiu do chuveiro e que a colocamos numa cadeira improvisada para trocá-la, a Camila já parecia estar bem melhor!

IMG_4920

Pegamos o primeiro ferry de retorno para Cancún, e após o banho gelado nossa bonequinha já estava de volta à seu estado normal. Ufa!!! Que susto e que perrengue!

É Camilinha, teremos muitas histórias pra te contar quando você crescer, rsrsrs

IMG_4921

Pra fazer do limão uma limonada, aproveitamos nossa volta antecipada para dar uma voltinha em Cancún, mas isso contarei no próximo post.

6 Comentários

Arquivado em América do Norte, Isla Mujeres, México

Playa del Carmen: Mamita’s Beach

Conversando com os locais no dia anterior, descobrimos que a única praia sem sargaço por ali era a Mamita’s Beach, que é onde fica o beach club com o mesmo nome. Os donos do local estavam investindo bastante na limpeza da praia para manter sua freguesia.

Sabíamos que havia uma consumação mínima para ficar por ali, mas estávamos dispostos a pagar para poder aproveitar uma praia limpa. Chegamos, paramos o carro no estacionamento do local, checamos o valor da consumação e fomos procurar nosso lugar ao sol. Não tínhamos entendido bem o esquema do lugar, e como queríamos uma sombra bem próxima ao mar, acabamos escolhendo um guarda-sol que não pertencia ao Mamita’s, mas ainda assim tivemos que consumir por causa do estacionamento.

Ainda havia um pouco de algas por ali, mas quase nada comparado ao que tínhamos visto no dia anterior.

DSC07938

Armamos nosso acampamento e por ali ficamos. Aquela sim era uma praia padrão Caribe, com mar quentinho e vários tons de azul e verde. Muito bom poder ficar ali de boa só curtindo a paisagem.

DSC07955 IMG_4817 IMG_4830 IMG_4823

Pra quem é cliente do Mamita’s, ou seja, quem aluga cadeiras ou camas do estabelecimento, tem direito à duchas e também à uma área com piscinas. Pela manhã, o local estava vazio e achamos isso ótimo, pois o ambiente estava bem familiar.

IMG_4804 DSC07939 DSC07956

Para almoçar, fomos numa loja de conveniência bem pertinho da praia e compramos uns belisquetes. Aliás, essa é uma prática bem comum para quem está fora do Mamita’s, pois quem está nas cadeiras do clube não pode levar nada de fora.

IMG_4821

O calor estava de rachar, e aquele mar delicioso demais! Pena que não pudemos deixar a Camila curtir mais a água, porque mesmo com chapéu e muito protetor solar era melhor não arriscar. O pouquinho que permitimos foi bem divertido para ela!

IMG_4859 IMG_4864

Após o almoço, o Mamita’s começou a encher de jovens em grupos curtindo a vida adoidado. Várias moças em despedida de solteiro, fazendo de tudo pra aproveitar como se o mundo fosse acabar dali alguns instantes. De uma hora pra outra aquela praia família em que estávamos se transformou em uma balada à beira-mar. Como já tínhamos aproveitado bastante e consumido o que era necessário, decidimos voltar para a pousada.

Chegamos lá e ainda curtimos uma piscininha sendo mais uma vez mimados pelos proprietários da Suítes Fenícia. Os mexicanos realmente estavam ganhando pontos no quesito simpatia e hospitalidade 🙂

4 Comentários

Arquivado em América do Norte, México, Playa del Carmen

Primeiro dia em Playa del Carmen

Logo em nossa chegada à Suites Fenicia, percebemos o carinho e preocupação da proprietária conosco. Desde os primeiros minutos percebemos que ali seríamos paparicados e realmente fomos desde o início até ao final de nossa estadia. O ambiente do lugar é bem familiar e por ser uma propriedade pequena, é bem fácil de logo se sentir ambientado. O fato de sermos os únicos hóspedes da semana contribuiu mais ainda para todo esse atendimento vip.

Acordamos no dia seguinte bem descansados, preparamos nosso café da manhã com os ingredientes que eles deixam (pão, café, frutas, geléias e outros belisquetes) e fomos conversar com a Dona Laura sobre onde poderíamos encontrar um supermercado para comprar os legumes, frutas e verduras da Camila. Há um supermercado muito bom quase na esquina da pousada, mas preferimos ir a um hipermercado para termos mais opções de compra. Ao chegar ao setor de hortifruti que alegria comparando as variedades de produtos aos EUA. No México nos sentimos como no Brasil, com muitas opções de coisas saudáveis para prepararmos o papá da baixinha. Compramos mais algumas coisas que estávamos precisando e logo voltamos para nosso quarto para poder preparar os potinhos de comida.

Para esse primeiro dia, não havíamos planejado nada pois queríamos descansar da correria do dia anterior. Pra começar a conhecer a região, pedimos uma indicação de praia calminha para passarmos algumas horas da tarde e logo dona Laura nos indicou um lugar chamado Playa Esmeralda.

Ao chegarmos, notamos que era uma praia de locais, com a galera fazendo a maior farofa.

DSC07922

Percebemos também que as notícias que anunciavam a invasão de algas nas praias da região de Cancún eram verdadeiras e assim nos frustramos de cara com aquele mar cheio de sargaço. Pra ajudar, o tempo estava virando pra chuva e tudo tinha cara de que nosso passeio seria uma furada.

DSC07923

Como qualquer coisa que fizéssemos seria lucro naquele dia, resolvemos transformar o limão numa limonada e se juntar aos locais para curtir o que desse. O mar estava impraticável, e o cenote que havia entre a areia e o mar tinha uma água limpinha porém congelante, que não tive a menor vontade de encarar.

DSC07921

Para a Camila tudo era festa! Brincou na areia, entrou na água gelada e se divertiu bastante correndo atrás dos passarinhos.

DSC07919 IMG_4753

Aproveitei o momento para conversar com os locais e já descobrir qual praia estava livre das invasões de algas, pois tinha esperança de conseguir encontrar alguma. Aproveitei também para gastar meu espanhol, hahaha e foi muito divertido.

Repito o que escrevi em algum post anterior: como também é bom curtir a viagem longe dos cartões-postais! Num primeiro momento queria fugir dessa praia que parecia a maior furada, mas por outro lado não teria tido essa experiência muito bacana com os locais. Tenho trabalhado isso fortemente em nossas viagens e depois vejo o quanto é positivo.

Ficamos em Playa Esmeralda até ficarmos com medo da chuva que ameaçava chegar a qualquer momento. Como tínhamos toda a parafernalha para recolher, não quisemos arriscar. Juntamos nossas coisas e voltamos felizes da vida pra pousada.

A chuva não chegou e ainda deu tempo de curtir a piscina e a área externa antes de voltarmos pro quarto. A gentileza e hospitalidade dos proprietários da Suites Fenicia continuavam nos surpreendendo. Nada melhor do que ser bem tratado 🙂

IMG_4754 IMG_4757 IMG_4758

Após curtir a vida mansa por ali, fomos nos arrumar para conhecer uma das atrações mais famosas de Playa del Carmen: a Quinta Avenida, que é por onde iniciarei o próximo post

2 Comentários

Arquivado em América do Norte, México, Playa del Carmen